15 fevereiro 2017

Sandrinho, o Azarado

Confusão, era ali o habitual. Por uma nesga, Sandro não logrou fugir. Foi pisado e agredido, sem culpa formada. Saber o que fazer foi difícil, mas juntando as provas defensivas, talvez anulasse a polémica, que era um bico de obra.
Simples seria o verdadeiro culpado apresentar-se. O coração sofrido da família esperava por uma luz para aclarar os factos. Deram-lhe um trevo que usou para lhe dar sorte. Preso não ficaria.
E a mudança aconteceu. Foi absolvido!
Elisabeth Oliveira Janeiro, 72 anos, Lisboa

Desafio Rádio Sim nº 46 – 12 palavras impostas

Sem comentários:

Enviar um comentário