15 abril 2017

Mónica Marcos Celestino ― desafio nº 93

Canto das sereias
Entre as salgadas vagas bravias
as sereias afinavam as gargantas
para, matreiras, cantar tristes cantigas.


As cansadas barcas, enfeitiçadas,
paravam-se entre algas e peixes de prata
e deixavam as redes na mar.

Entre atraentes risadas atrapalhavam, malandras,
as brancas velas das barcaças
e até elas levavam-nas.

Arrastadas viam-se as marinheiras almas
pelas lastimosas baladas dessas raparigas
sentadas nas escarpadas pedras da baía.

Calaram as cristalinas palavras
à chegada da estrela da manhã
e a miragem se desfez.
Mónica Marcos Celestino, 43 anos, Escuela Oficial de Idiomas, Salamanca (Espanha)

Desafio nº 93 – escrever sem O nem U

Sem comentários:

Enviar um comentário