09 maio 2017

Emília Simões ― desafio nº 118

Com o nervosismo que lhe era habitual não conseguia disfarçar o susto que lhe haviam pregado. No seu semblante era notória a tristeza que queria iludir com um discreto e trémulo sorriso. O seu
melhor amigo valera-lhe nesse momento em que ficara completamente alheada. O amparo e carinho que lhe demostrara tinham tido o efeito de uma vitória e agora sentia-se mais animada e com a sua fortaleza estabilizada. Nada como um amigo nas horas de angústia…
Emília Lopes de Matos Vieira Simões, 65 anos, Mem-Martins (Algueirão)

Desafio nº 118 – associação de palavras

Sem comentários:

Enviar um comentário