30 junho 2017

António Matos ― desafio nº 110

– O martelo foi a arma do crime? – indagou o juiz, depois da confissão.
– Foi a solução – esclareceu Maria – para o meu problema, Meritíssimo. O refúgio para o qual me atirei, já com a alma desmembrada.
– Essa resposta dá um tratado – permitiu-se o juiz, num elogio disfarçado.
O julgamento seguiu, e cada espinho cravado naquela existência foi vingado sem pudor. A dignidade daquele testemunho detectava-se na serenidade e frieza daquela expressão elegante que o gancho rosa assinalava discretamente
António Matos, 31 anos, Lisboa

Desafio nº 110 – 8 palavras obrigatórias

Sem comentários:

Enviar um comentário