09 junho 2017

Rita Afonso Botelho ― desafio RS nº 47

No meio de um crime. Sem hesitação um ladrão grande zangadoprimeiro tapou-me com um xaile. Num lugar ocultosolidão ouço quatro tirosUm cheiro varejeira. Começou a espicaçar-me com um dedo. Tira o xaile, uma lamparina acesa, notas no chão, um jaguar deitado ao lado do bárbaro assaltante, era místico o que ele dizia, atrapalhei me ao ver um urso. O urso tira a sua máscara, impossível, o meu rival falido, está tudo terminado.
Rita Afonso Botelho, 35 anos, Moita

Desafio RS nº 47 – 23 palavras obrigatórias!

Sem comentários:

Enviar um comentário