22 julho 2017

Ana Mafalda― escritiva nº 22

Era uma vez um sem-abrigo. Daqueles que ficaram sós no mundo, sem ninguém.
Dormia na rua ao relento, muitas vezes ao sabor do tempo...
Um dia, viu uma porta aberta mas lá ninguém. Entrou. Livros, tantos livros!
Seus olhos jorraram lágrimas de água feliz e nelas tomou banho como um petiz.
Então, sentiu tamanha tentação: abriu um livro e leu, sentado no chão.
Num ápice ouviu passos
Surgiu uma segurança galante
Ups, tinha sido apanhado em flagrante 
Ana Mafalda, 47 anos, Lisboa
Escritiva nº 22 ― apanhado em flagrante

Sem comentários:

Enviar um comentário