31 agosto 2017

Isabel Lopo ― desafio nº 124

SUPER-LULA parece ser aquilo em que te transformaste.
Para mim, és apenas UMA imagem assustadora.
PARECES ter muitos braços e enormes tentáculos.
E sonho que me SUFOCAS com o teu desamor.
Sonho que ME encerras no teu pequeno mundo inexistente.
Já QUASE não rio, não choro e não falo...
Destruíste o meu ESPAÇO e a minha liberdade.
Tenho saudades DE pensar que o amor perdurava pelo tempo...
PRECISO de ti como eras e não mais deste pesadelo!
Isabel Lopo,71 anos, Alentejo
Desafio nº 124 ― és uma super-lula!

Frase: Preciso de espaço, quase me sufocas, pareces uma super-lula

Fernando Morgado ― desafio nº 124

Mal me pareces, tão demo como a super-lula.
Uma super-lula esconsa e faminta, ameaçadora e voraz.
A tua morte é a sorte do xilreu.
Como pitéu de boa mesa, como-te até me saciar.
O demo maldito às ordens do meu talher.
Partilho com um Borba branco o teu tão delicioso sabor.
Já não és o que pareces em pleno alto-mar.
E não me enganas tu; prefiro-te ao tofu.
Com o teu mal me regalo eu. Bom apetite.
Fernando Morgado, 62 anos, Porto

Desafio nº 124 ― és uma super-lula!

Helena Pereira ― desafio nº 124

Frase: Mãe, foste o meu porto de abrigo, agora és uma super-lula!
Super-lula, és minha esponja.
Uma esponja que me absorve nesses tentáculos,
Foste, és, serás sempre minha Mãe, a minha super-lula!
Agora já não estás, no céu vejo constelações de super-lulas…
Estrelas como abrigo em dias cinzentos,
Nesse céu de esperança de um amanhã melhor.
Olho o porto, os barcos regressam…
Trará o meu uma super-lula?
Não, o meu viaja nos sonhos…
Hoje foste de novo o meu porto de abrigo!
Um beijinho, Mãe, onde quer que estejas…
Helena Pereira, 44 anos, Seixal

Desafio nº 124 ― és uma super-lula!

Theo De Bakkere ― desafio nº 124

O imperador
Talvez não te importes, mas nem UMA palavra decente sai da tua boca
Quando falas, PARECES mais um sofredor de Tourette.
Mas TU não me sabes enganar, és só mal-educado.
Porquê não mostras MAIS modéstia em público?
Mas não, outra VEZ não conseguiste reconciliar pontos de vista.
Ao contrário, provocaste indignação geral com CADA palavra falada.
ORA, há pessoas que te comparam ao versátil imperador Nero, o incendiário.
Na realidade, és apenas uma arrebicada SUPER-LULA com megalomania.
Theo De Bakkere, 65 anos, Antuérpia, Bélgica
Desafio nº 124 ― és uma super-lula!
Theo De Bakkere ― desafio nº 124

A frase: Super-lula, ora cada vez mais tu pareces uma

Quita Miguel ― desafio nº 120

Coragem para mudar
– Muito bem – concluiu Florêncio, olhando-se ao espelho e jurando mudar de vida.
A doença que lhe fora diagnosticada, mostrava como havia desperdiçado a vida. Há mais de 30 anos que fazia o que odiava, convivia com quem não lhe interessava e calava muitas das verdades que queria gritar.
Colocou o boné e enfrentou o sol quente do Alentejo, em busca do barro que a sua criatividade iria moldar.
Quanto tempo iria viver? Não sabia, mas seria feliz.
Quita Miguel, 57 anos, Cascais
Desafio nº 120 ― reencontrar o caminho sem V nem F
Faça aqui o download do conto «Sonho Esventrado» 

30 agosto 2017

Alda Gonçalves ― desafio nº 124

Frase - De qualquer forma pareces uma super-lula, sem dúvida.

Dúvida nunca teve.
Sem nada para fazer durante as férias, só lhe restava inventar histórias.
A da super-lula demorou mais tempo a inventar, talvez por não gostar de lulas à marinheiro.
Uma vez quase sentiu os tentáculos a apertar os dedos enquanto escrevia.
Mais pareces um daqueles contadores de histórias medievais com um chapéu de meia-lua.
A forma de divertir a corte nos salões durante a idade média.
E qualquer um tinha acesso à brincadeira.
De facto!
Alda Gonçalves, 49 anos, Porto

Desafio nº 124 ― és uma super-lula!

Natalina Marques ― desafio nº 124

Frase: ESTÁS ENGANADA, SE ACHAS QUE PARECES UMA SUPER-LULA

O meu sonho, é ser uma SUPER-LULA, viver uma vida feliz, UMA vez que poderia abraçar os que amo com os meus tentáculos.
PARECES admirado com as minhas idílicas, mas sinceras, palavras.
Ris-te do meu sonho, ACHAS descabido, impossível.  QUE é feito do homem por quem me apaixonei?
SE voltasse atrás, enfrentava os medos, lutando pelos meus ideais e sonhos.
Agora não vivia ENGANADA na falsidade das tuas palavras.
ESTÁS satisfeito agora, a verdade dói, não dói?
Natalina Marques, 58 anos, Palmela

Desafio nº 124 ― és uma super-lula!

Alda Gonçalves ― desafio nº 123

Uma fita na cabeça sempre fica melhor que a touca que o tio colocava na cadelinha.
Desde que a bichinha apareceu lá em casa, que é vê-lo em cuidados mil.
Ele que dizia não querer animais em casa, por não ser justo apaparicar um animal mais que uma criança.
Agora é ver a caniche saltar para o seu melhor fato e ele derretido.
Quando descobre que é citado justifica dizendo: é tão meiguinha, que fico sem alternativa.
Alda Gonçalves, 49 anos, Porto

Desafio nº 123 – palavras com letras de justificado

Quita Miguel ― desafio nº 119

Lambe-botas
Porque agora tinha mais informações sobre a nova chefe, tornava-se mais fácil escolher uma prenda de aniversário.
Pouco lhe importava ser apelidado de lambe-botas.
Escolheu os crisântemos mais belos que a florista tinha e entregou o ramo à secretária, já que a chefe estava em reunião.
Assim que ele virou costas, a secretária iluminou a face com um sorriso e escondeu no ramo um alfinete. Era a sua vingança para com o lambe-botas e a nova chefe.
Quita Miguel, 57 anos, Cascais
Desafio nº 119 ― crisântemo + alfinete

Faça aqui o download do conto «Sonho Esventrado» https://www.smashwords.com/books/view/595005

Maria do Céu Ferreira ― escritiva nº 22

Flagrante
De mochila pelas costas
Passou no meio da gente…
Pegou em sacos de tostas
Para pagar mais à frente!

De soslaio, o merceeiro
Topava-o com atenção:
A mochila era o celeiro,
Somente tostas na mão!...

O artista experimentado,
Ia pegando à vontade,
De mansinho, com cuidado,
Sentia-se em liberdade!...

À hora do pagamento
Eram tostas a pagar…
Não previa o contratempo
Da mochila esvaziar.

Depositou no balcão
Os produtos camuflados…
Saiu todo fanfarrão,
Nós, à volta, envergonhados!...
Maria do Céu Ferreira, 62 anos, Amarante
Escritiva nº 22 ― apanhado em flagrante

Chica ― desafio nº 124

Desgruda
Frase: Gostarias que te chamasse de super-lula, Sapônico?

Sapônico, vai mais pra lá um pouco!
Até super-lula, é bem menos chato do que tu.
Grude e mais grude, preciso de bem mais espaço e sem babas...
Seria tão bom se tu soubesses esperar que eu te chamasse.
Seria bem melhor te ter ao meu lado, mas sempre sem pressão.
Eu prometo te chamaria e seria bem boazinha!
Bom ter ao lado aquele que queremos, na hora que queremos!
Vamos tentar desgrudar? Gostarias de tentar?
Chica, 67 anos Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil
Desafio nº 124 ― és uma super-lula!

Desafio nº 124

Vamos escrever uma frase de 8 palavras sobre o tema – pareces uma super-lula!
(pode ser trabalhada de forma metafórica, claro.)
Depois, usando as palavras da frase de trás para a frente no texto, por ordem, uma por frase, fazemos um texto de 8 frases.
Difícil? Não, divertido.

Fiz assim:
Frase: Caramba, cada vez mais me pareces uma super-lula!

Uma super-lula, é o que és, sem dúvida.
Uma lula com tentáculos que me sufocam quando me abraças e beijas.
Cada vez mais me pareces uma verdadeira manipuladora de escravos.
Se me tivessem dito que eras assim, teria duvidado.
Mas não podia ter sido mais bem enganado, não podia.
De cada vez que apareces, apanhas mais um pouco de mim.
De cada vez que te vais embora, sofro.
Caramba, por que raio gosto eu tanto de ti?!
Margarida Fonseca Santos, 56 anos, Lisboa
Desafio nº 124 ― és uma super-lula!

29 agosto 2017

Susana Sofia Miranda Santos ― desafio nº 19

O Ricardo é jardineiro e hoje irá a casa da Eva podar a rama do plátano gigantesco e cortar a relva. Finalmente tomou esta decisão... este jardim parecia a selva africana.
Ele convidou-me para acompanhá-lo e irei amar!
Mal chegamos, ouvimos soar o canto de uma ave, o canário da Eva.
Posteriormente, ofereceu-me uma rosa... vai cortar algumas para decoração da casa.
Quando concluiu o trabalho, o relvado estava raso, a árvore podada... tudo estava em harmonia.

Eva - ave; rama - amar; rosa - raso - soar.
Susana Sofia Miranda Santos, 38 anos, Porto

Desafio nº 19 – anagramas dentro da história

Quita Miguel ― desafio nº 118

Sucesso ou fracasso?
O receio de falhar era um facto que acompanhava Félix desde criança. Cada projeto fracassado, marcava a sua vida com mais uma deceção, derrotando a sua estrutura mental.
Sentia-se um falhado, porém nada o fazia desistir.
Enquanto planeava a identificação de cada fase do trabalho, o anseio da sua execução aumentava, no entanto, cada resolução era sempre tomada com afeto e determinação, apesar do medo do resultado final.
Sucesso ou malogro? Só no final saberia a verdade.
Quita Miguel, 57 anos, Cascais
Faça aqui o download do conto «Sonho Esventrado» ― https://www.smashwords.com/books/view/595005

Desafio nº 118 – associação de palavras

Susana Sofia Miranda Santos ― desafio RS nº 27

Pedro ficou desempregado e, desesperado, passou a noite a beber. Que tosga inacreditável! Até virou várias gotas de whisky no balcão do bar.
Apesar de inúmeras advertências dos empregados, Pedro assegurou estar consciente para conduzir.
Porém, devido à sua embriaguez, atropelou os gatos da vizinha.
Ele não gosta de togas e foi condenado em tribunal; está desempregado e terá um gasto avultado para indemnizar a vizinha pelo sucedido.
Mas, ele é o único culpado pela sua irresponsabilidade.

Tosga, gotas, gatos, gosta, togas, gasto.
Susana Sofia Miranda Santos, 38 anos, Porto

Desafio RS nº 27 – anagramas de G S T A O

Marielly Sales e Anna Gabriela ― desafio nº 35

Purpurina e glitter
Pelos teus círculos
Vagamos sem rumo
À procura das mercadorias,
Cores e variedades
E opções de consumo.

Luzes, cores e sons!
Estou sendo induzida
A entrar e comprar.
Não quero nem ver
Quando a conta chegar.

Cada andar um tiro,
Cada loja um túmulo.
Não quero nem ver
A cara do meu marido.

Purpurina e glitter
Chamam minha atenção
Queria levar tudo
Mas não tenho dinheiro, não.

Meu Deus, até quando?
Oh, quando chegará
A grande liquidação?
Marielly Sales, 13 anos, e Anna Gabriela, 14 anos, CEF 2 de Riacho Fundo 2, Brasília, Brasil. Profª Celina Silva Pereira.
 “Pelos teus círculos/vagamos sem rumo” -  José Paulo Paes.

Desafio nº 35 – partindo de dois versos de autor

Susana Sofia Miranda Santos ― desafio nº 43

Anabela observa, num dia chuvoso, gotas caindo pelo cano rebentado do tecto, em cima da mesa de vidro da sala.
E, simultaneamente, brotam as lágrimas nos olhos de Anabela, recordando o dia em que foi abandonada pelo noivo no altar. 
A data que, supostamente, seria a mais feliz da sua vida, revelou-se a mais funesta de todas!
Entrou numa igreja iluminada pelo sol; quando saiu, chovia copiosamente.
Desde esse dia, sempre odiou a chuva... origina más lembranças.
Susana Sofia Miranda Santos, 38 anos, Porto

Desafio nº 43 – imagem de uma gota a cair numa superfície lisa de água

Érika Cipriano e Anna Samara Tavares ― desafio nº 35

Escola
Vagamos sem rumo
Pelos corredores da escola,
Inspirados e cansados
Dos dias de aluno.

Cada aula um novo aprendizado,
Com colegas e professores
Continuamos,
motivados.

Entre salas de aula
Cheias e vazias,
Encontramos o nosso
Lado da vida.

Com várias atividades,
Descobrimos amizades,
Histórias da alma
E do tempo.

Olhando para o quadro,
De certa forma vemos
O nosso futuro.
Oh, escola afinal
Achamos o rumo.


Aprendemos em ti,
Grandes lições para a vida.
Pelos teus círculos.
Érika Cipriano, 13 anos, e Samara Tavares, 14 anos, 8º ano, CEF 2 de Riacho Fundo 2, Brasília, Brasil, profª Celina Silva Pereira
 “Vagamos sem rumo”, “Pelos teus círculos” – José Paulo Paes

Desafio nº 35 – partindo de dois versos de autor

Susana Sofia Miranda Santos ― desafio nº 23

O xerife Pancrácio jurou oferecer um leitão nas festividades da vila, mas este engasgou-se com uma rolha de cortiça, morrendo asfixiado... compraria outro na aldeia vizinha.
Amanhã, fabricaria cerveja para a festa com o almofariz.
Programou o despertador para acordar cedo, mas os filhos partiram-no com uma bola de ténis... nem se apercebeu!
Na manhã seguinte, acordou tardíssimo.
Mal saiu, foi picado por uma vespa. Voltou para casa... não faria papel de palhaço com o nariz entumecido.
Susana Sofia Miranda Santos, 38 anos, Porto

Desafio nº 23 – percurso de palavras obrigatório: leitão + rolha + almofariz + despertador + bola de ténis + vespa + papel

26 agosto 2017

Susana Sofia Miranda Santos ― desafio nº 54

Encontrámo-nos casualmente numa encruzilhada da vida, mas apesar de sermos diferentes, isso não gerou um desencontro entre os nossos corações.
Tu reages a imprevistos com susto, eu com surpresa; assim, fui eu a lutar por ti e não me arrependo.
És o homem dos números, eu sou a mulher das letras; aprecias o deserto do silêncio, eu amo um mar de palavras.
O amor traz desordem aos apaixonados, mas a regra de um coração gelado é lastimável!

Encruzilhada - desencontro; 
Susto - surpresa;
Deserto - mar;
Silêncio - palavras;
Desordem - regra.
Susana Sofia Miranda Santos, 38 anos, Porto

Desafio nº 54 – pares de palavras com sentido contrário

Quita Miguel ― escritiva nº 19

Quadro roubado
Eva sempre adorou feiras de rua. Todos os sábados percorre locais onde se reúnem pessoas que procuram desfazer-se de coisas para as quais alguém talvez ainda encontre utilidade.
O melhor negócio que Eva fez e que, por um tempo, a deixou verdadeiramente orgulhosa, foi a aquisição de dois quadros com molduras de talha dourada.
Mas a alegria duraria pouco já que a polícia bateu-lhe à porta, reclamando as obras de arte roubadas e exigindo a sua devolução.
Quita Miguel, 57 anos, Cascais
Faça aqui o download do conto «Sonho Esventrado» https://www.smashwords.com/books/view/595005

Desafio Escritiva nº 19 ― vidas passadas de objetos

Susana Sofia Miranda Santos ― desafio nº 100

Sinto-me só, tão só, tão entregue a mim mesma!
Sabes, quando existias na minha vida, não sentia este vazio na alma.
Os dias começavam alegremente; eu escrevia-te uma carta de amor, enquanto música romântica me embalava o coração.
Quando me abandonaste, morreram as palavras e a música, até que decidi parar de sofrer.
Comecei a escrever um diário falando comigo mesma sobre os meus sentimentos, para aliviar angústias e amarguras... e foi por isso que me escrevi!
Susana Sofia Miranda Santos, 38 anos, Porto
Desafio nº 100 – «e foi por isso que me escrevi»

Alda Gonçalves ― escritiva nº 23

O sol intenso e o carro, um vintage dos anos 90, não nos levaria longe.
Entramos por uma estrada secundária, estreita, onde se cruzavam dois carros com dificuldade. 
Muita sombra, ora de tílias, ora plátanos, pinheiros e austrálias, davam um ar de frescura. De repente ao lado direito uma queda de água chamou a atenção. Parámos. Bucólico o local com piscinas naturais e muita relva, em pleno Alvão. Onde o turismo ainda não descarregou a sua ira.
Alda Gonçalves, 49 anos, Porto

Escritiva nº 23 – recomendar um destino, guias de viagem

Susana Sofia Miranda Santos ― desafio nº 92

Hoje de manhã acordei com um nevoeiro intenso; ainda senti mais espanto quando, abrindo a janela, percebi que um frio atroz invadia a minha casa.
Que horror... planeava ir até à praia, porque ontem no boletim meteorológico afirmaram que hoje estaria sol e altas temperaturas no ar e na água do mar.
Que raiva! É impossível não sentir revolta... porque existem estes profissionais? O que anunciam é uma constante repetição de falsidades?!
É melhor sentar-me à lareira!
Susana Sofia Miranda Santos, 38 anos, Porto
Desafio nº 92 – associar: frio, espanto, revolta e repetição

Carla Silva ― escritiva nº 23

Aqui não acontece nada 
Uma gata passa por mim com a mesma tranquilidade das pessoas que habitam a pequena vila.
Ao vê-la afastar-se, dou por mim a pensar…
Aqui não há comboios, nem táxis ou aviões. Não temos centros comerciais nem cinemas. Supermercados, nem vê-los! Não há piscinas nem discotecas… resumindo, não há nada! Aqui só há tranquilidade.
Se pretende um sítio onde o máximo que acontece é o engarrafamento gerado por dois rebanhos de ovelhas, então encontrou o sítio ideal.
Carla Silva, 43 anos, Barbacena
Escritiva nº 23 – recomendar um destino, guias de viagem

Susana Sofia Miranda Santos ― desafio nº 40

O , meu colega de trabalho, apesar de algo tonto, é esforçado e competente.
Hoje, quando chegou à empresa, após passar em torno de mim, noto que tem o casaco roto. Ele afirmou tê-lo rompido no toro de um pinheiro.
Eu já lhe prometi ir a sua casa depois do expediente e orno a sua árvore de Natal... com o meu excelso talento para a decoração, ficará mais altiva e majestosa que o trono de um rei.

Tó, torno, roto, noto, toro, trono, torno e tonto
Susana Sofia Miranda Santos, 38 anos, Porto
Desafio nº 40a partir de anagramas contendo as letras de Toronto


24 agosto 2017

Susana Sofia Miranda Santos ― desafio nº 14

A Raquel disse-me radiante que, ao fim de 14 anos irá ter irmãos.
Ela, tal como eu, é filha única e sempre odiou. Mas, afortunadamente, a mãe está grávida de gémeos.
Ela precisará de muito apoio familiar e acompanhamento médico - tem 41 anos, o que requer uma vigilância cuidada para uma maternidade salutar.
Mas tudo correrá bem.
Como diria Pessoa "Grande é a poesia, a bondade e as danças... mas o melhor do mundo são as crianças!"
Susana Sofia Miranda Santos, 38 anos, Porto

Desafio nº 14história onde entram duas personagens de idades: 14 e 41

Maria do Céu Ferreira ― desafio nº 120

Destino
Relâmpagos e estalidos,
Clarões na rua deserta,
Céu negro, alguns gemidos,
Mas nenhuma porta aberta…

Perdera rumo e Norte,
O carro na enxurrada,
Já não tinha passaporte,
Parecia uma emboscada!...

Até que algo o tocou
No meio da escuridão,
Um raio que aclarou,
Alguém que estendeu a mão…

Era o seu petiz querido,
Arrastado pelo chão…
E aquele baque e gemido
Tocaram-lhe o coração…

Ia entregar o menino,
Raptado com ousadia,
Tempestade no destino
Aplacou-lhe a rebeldia…
Maria do Céu Ferreira, 62 anos, Amarante

Desafio nº 120 ― reencontrar o caminho sem V nem F