20 setembro 2017

Ana Paula Oliveira - escritiva nº 24

Era uma vez uma velha. E era uma vez um lobo esfaimado.
A velha saiu da sua cabana para ir ao batizado dos netinhos. O lobo saiu-lhe ao caminho para a degustar.
Mas ela estava magrinha, ele só teria ossos para trincar. E deixou-a partir. Na festa iria engordar, o banquete poderia esperar.
Na hora do regresso, o lobo esperava-a. Escondida numa cabaça, a velha respondeu-lhe:
― Não vi velha, nem velhão! Corre, corre, cabacinha, corre, corre, cabação!
Ana Paula Oliveira, 57 anos, S. João da Madeira,
Escritiva nº 24 - mini histórias da infância

Sem comentários:

Enviar um comentário