30 setembro 2017

Fernanda Costa - desafio nº 118

Aquieta-se a noite! Os vivos também!
Há uma coruja a piar ― sabe o que diz, mas ninguém a entende.
Na vizinhança, uma torre milenar ― alva, intocável na terra, apreciada do céu. Abençoa o conforto, com temperatura misteriosa.  
Há luzes amarelas, outras laranja, algumas escondidas na bruma. Luz rosada, em abóbada infinita, doa transparência à noite, parecendo um pedaço de dia!
Nesta oposição ― brisa da noite, nuvens do dia ―, há a escuridão doce, morna, tal como um longo abraço. 
Fernanda Costa, 56 anos, Alcobaça
Desafio nº 118 – associação de palavras

Sem comentários:

Enviar um comentário