19/05/12

EXEMPLOS desafio nº 5

Desafio nº 5frase de sete palavras, cada palavra está depois de 10 em 10 palavras
Amanhã não haverá mais lágrimas nem acusações.
Amanhã só haverá ausências pois contigo partirão afetos e ternuras
.
Não haverá músicas nem danças, não haverá beijos nem festanças.
Haverá silêncios e tudo o que foi bom não voltará.
Mais não! Chega! Não pretendo pedir o impossível. Quero secar
lágrimas. De tanto lembrar, quero esquecer o que foi vivido!
Nem me vou preocupar em apanhar os cacos. Quero apagar
acusações para não lamentar nem odiar. Apenas continuar e… perdoar.
Ana Paula Oliveira, São João da Madeira

Sempre que te vejo fico muito feliz
Sempre, desde criança, soube de tua importância para mim. Sabes,
Que és importante pra mim. Preciso de ti, teu brilho
Te falo, mas parece que não escutas. Somes, te escondes.
Vejo que não crês em mim... Fico cinza sem ti!
Fico triste, mas te entendo. É teu destino agir assim.
Muito me entristece ver a cada dia o teu partir...
Feliz fico quando no outro dia voltas, meu lindo Sol! 
Chica, Brasil

Uma, duas, três, quatro, cinco, seis, sete!
Uma Maria Manuel que julgava ter um nome muito original!
Duas caras tinha Maria Inês, fingindo ser uma doce princesa!
Três vezes negou Maria Madalena ser aquela amiga do passado.
Quatro dias esperou Maria da Luz, silenciosa, sempre às escuras…
Cinco homens afirmaram conhecer Maria Rosa mesmo sabendo ser mentira!
Seis linhas de pedaços de vidas cheias de misteriosas promessas.
Sete histórias prováveis, com cinco improváveis Marias cheias de manias!!
Elisa Moreira (são dois desafios num... números e frase, que espectáculo!)

Senti que só faz falta quem está.
Senti no tom daquelas palavras duras a minha presença como dispensável.
Que, apesar dos esforços para não revelar a minha fraqueza, era
 uma questão de tempo! Para desabafar, escolhi o papel que
faz de confidente para a minha mágoa sentida naquela mensagem ardilosa.
Faltaporém lembrar a quem esqueceu, um percurso feito de compromisso.
Quem acreditava na amizade, na força do alento das palavras sinceras.
Está bem de ver que me tornei dispensável. Odiei a frase!
Elvira Cristina Silva

Abriu os olhos de espanto e desapareceu
Abriu o sol os raios para abraçar a cidade inteira.
Os ruídos invadiram aos poucos a rua onde morava. Os
olhos ainda fechados adivinharam os espaços, o tempo, as sombras.
De mansinho resvalou da cama. Tropeçou no gato tigrado. Com
espanto percebeu que não fora um sonho, o buraco existia...
e continuava aberto na parede ao fundo do quarto...entrou,
desapareceu por ele para reaparecer no mais magnífico dos cenários...
Carla Gomes, prof. Bibliotecária em Alverca

Brota a murta ao pé da porta
Brota a água da nascente do rio, depois da chuva.
A torrente arrasta o musgo das pedras, o acanto, a
murta e as azedas que despontam ao longo das margens.
Ao seu ímpeto avassalador nada escapa. Ouve-se, mesmo aqui ao
, o rugido da grota, dando novo sentido ao fluxo
da saraivada. Como se a montanha abrisse a sua íntima
porta e dela se esvaísse toda a dor do mundo. 
Carlos Alberto Silva, Leiria

Não? Não. Não! Não… não??  Não, não!
Não acreditava nas palavras que ecoavam na sala escura, assustadora…
Não ouvia nada, nem ninguém no meio daquela barulheira divertida.
Não conseguia adormecer naquela noite tenebrosa e tempestuosa de dezembro.
Não gritava, não falava, mas conseguia sentir uma enorme alegria!!
Não via nada à minha frente sem ser um arco-íris.
Não me recordo de mais nenhuma frase para aqui colocar…
Mariana Santos

Os meninos do 3º ano da professora Cristina Pimenta, da Escola do Alto do Moinho - Corroios, enviaram as suas histórias, todas com base na mesma frase. Que maravilha!!! Obrigada, professora e meninos...
Está um guarda à porta do castelo
Está ali um belo, enorme e por isso perfeito castelo.
Um terrível ladrão pode entrar lá dentro se não houver
guarda para o impedir de entrar, mas ele pode ir
à volta se houver uma porta do outro lado. À
porta do castelo eu consigo ver um homem bem armado.
Do lado contrário, parece-me que vejo também alguém armado! Este
castelo é o mais seguro que eu vi na vida!
Pedro Teles – 3º ano
+
Está um guarda à porta do castelo
Está um rato à porta do castelo. Socorro! Alguém ajude!
Um homem viu aquele rato e levou-o com ele dali.
Guarda na cave da sua casa muitas coisas que encontra
à porta das casas das pessoas. Ele tem muitas coisas!
Porta abre-te agora! Para eu dar este rato à princesa
do Carmo. O rato era da princesa Rosa do Carmo.
Castelo encantado era o castelo onde ela vivia no Alentejo.
Bruna Vitorino – 3º ano
+
Está um guarda à porta do castelo
Está um feio animal à porta do castelo. Apanhem-no já!
Um senhor alto e forte está ali. Apanhe-o! É nojento!
Guarda! Apanhe o feio animal, senão ele mata pessoas. Junto
à porta o apanhei. Levo-o para onde? Atire-o agora pela
porta fora antes que o terrível animal nos mate, agora!
Do lixo o animal feroz saiu e matou pessoas. No
castelo ele entrou e quase matou o rei Afonso Henriques.
Constança Santos – 3º ano

A juventude era para Gromicho mercadoria estragada.
A masculinidade nem sempre leva às atitudes mais correctas, por
juventude certamente. Por ainda se ter vivido pouco e porque
era esse o costume na terra, homem que é homem,
para se impor, fazia coisas que nem ao diabo lembra.
Gromicho, conhecido como avô rezinga, estava sempre alerta com a
mercadoria que os mais arrojados faziam circular, por vezes já
estragada pelas mãos ávidas que folheavam páginas de gente desnuda. "
Quita Miguel, 52 anos, Cascais

Oh, não posso acreditar que o perdi!
Oh, mas que desgraça foi acontecer-me! Estou desolada, profundamente triste.
Não acredito que fui logo perder o meu livro favorito.
Posso procurá-lo mais uma vez, mas não sei se encontrarei.
Acreditar que sim, tenho sempre onde me agarrar para confiar
que o meu querido livro vai aparecer quando menos esperar.
O meu irmão até quer ajudar-me, mas receio que já
perdi a esperança, pois ele não está em lado nenhum!
+
Miguel, anda depressa, não digo duas vezes!
Miguel andava distraído com um animal que encontrou no jardim.
Anda às voltas num rodopio sem parar e ser apanhado.
Depressa o rapaz chateou-se e tentou pisá-lo, mas arrependeu-se logo.
Não voltou a tentar, pois teve muita pena do bichinho.
Digo que a minha irmã Marta é uma piegas, mas
duas são as vozes na consciência… minha e a dela.
Vezes sem conta terei de ouvi-la se não for já!
Vanda Pinheiro

Os Reguilas da Mata – 4º ano
O meu dragão que tem quatro cabeças.
O João tem um brinquedo e adora brincar com ele.
Meu dragão, és tão lindo! Leva-me nas tuas belas asas.
Dragão, sonhava contigo todas as noites, nunca pensei que existisses.
Que magnífico! O teu fogo ardente aquece os sem abrigo.
Tem uma utilidade muito especial para as pessoas que precisam.
Quatro anos faz a nossa amizade parece uma grande eternidade.
Cabeças loucas, incríveis, magníficas, como as tuas não há. Certo?
Trabalho coletivo – 4º A – EB da Mata
+
O Joaquim e o Hugo trabalham juntos.
O José e a Andreia trabalham juntos e são amigos.
Joaquim é o chefe e o Hugo é o subchefe.
E ainda lá trabalha mais gente. Trabalha o Bruno Peixoto,
o Nuno Rodrigues, o Diogo Fernandes, a Elsa Prates, o 
Hugo Meireles e a Ana Isabel. São todos excelentes profissionais!
Trabalham todos os dias das nove horas às dezassete horas.
Juntos formam uma boa equipa de trabalho. São mesmo extraordinários.
Gabriel
+
DEITAR CEDO E CEDO ERGUER DÁ SAÚDE.
DEITAR cedo e cedo erguer da saúde e faz crescer.
CEDO deves deitar-te, mas também deves levantar-te bem cedo. Ok?
E relativamente à alimentação deves comer: Vegetais e muita Fruta.
CEDO deves aprender que a fruta é dos melhores alimentos.
ERGUER a cabeça, seguir em frente, passear ao ar livre
a força que as pessoas precisam para sobreviver e
SAÚDE é o que nos mantém vivos, fortes e saudáveis.
Sofia Sousa
+
Eu tenho uma cadela castanha muito bonita.
Eu, no fim de semana, fui para casa da avó.
Tenho cinco cães, um deles é cego, outra está grávida.
Uma vez deu à luz nove cachorrinhos tão, tão bonitos.
Cadela marota, ela mete-se com todos, ela é mesmo maluquinha.
Castanha como a terra, bonita é ela, encanta muitas pessoas.
Muito bonitos também vão ser os cachorrinhos, como a mãe.
Bonita, é a manta que lhe deram no seu aniversário.
Beatriz Oliveira
+
Eu vou ao baile com os amigos.
Eu, na sexta-feira, fui a um baile de finalistas espetacular.
Vou brincar com os amigos, pensei eu, mas só encontrei,
ao fim de algum tempo, dois colegas, João e Flávio.
Baile fantástico! Nunca tinha visto nada assim. Todos bem vestidos.
Com fato e gravata, os rapazes e, as raparigas, com
os vestidos compridos, pareciam princesas de um conto de fadas.
Amigos! A minha irmã ganhou o prémio de: “Mais Artística”!
Diogo Anastácio
+
A Joana é uma menina muito brincalhona
A Teresa estava muito alegre porque ia ver a mãe.
Joana era o nome da sua irmã que ia nascer.
É muito emocionante ter uma irmã em casa para brincar.
Uma seca deve ser aturar as suas choradeiras e rabugices.
Menina Teresa, hoje vai tomar conta da Joana. Só hoje.
Muito giro vai ser brincar com ela no meu quarto.
Brincalhona como sou, de certeza que a Joana vai adorar.
Beatriz Faria

Escola do Alto do Moinho – Corroios
Está um guarda à porta do Castelo
Está um pequeno gato preso numa grande árvore, perto de
um café. Acha que me poderia tirar o gato senhor
guarda? Sim, mas eu não tenho escadote.  Então vamos bater 
à porta dos bombeiros. Quando chegaram ao quartel bateram à
porta e pediram um escadote, nem que fosse um escadote
do lixo. Chegaram, salvaram o gato. O rei do grande
castelo quando ouviu isto, recompensou o bom homem. Deu-lhe ouro.
Gonçalo Fernandes
+
Está um guarda à porta do Castelo 
Está um gato preso no cimo de uma árvore e
um homem veio ajudá-lo a descer. Mas não encontrou um
guarda para o vigiar e o gato fugiu! Vai encontrá-lo
à porta de alguém, eu tenho a certeza. Enfim a
porta de esse alguém era minha. Eu tinha um gato
do monte que encontrei. E eu vivo ao lado do 
castelo . Não se preocupem, eu vou cuidar do gato. Adeus!
Raul Portugal

Livros, palavras são o melhor do mundo
Livros são aventuras, companhia, um amigo, um confidente, uma amizade eterna.
Palavras e letras que conjugadas são o melhor que se pode ter.
São únicos, diferentes, exclusivos e extraordinários como prendas.
O eterno mundo através da palavra, numa ideia, num livro.
Melhor! Tinha que ser inventado pois nada se lhes compara.
Do mais antigo ao mais novo. Um
Mundo ao alcance de todos nós: basta abri-los, ler, aprender e gostar.
Filipa Oliveira Costa, Nº10, 8ºB, Escola Básica e Secundária de Fajões

Poder ver-te todos os dias é fabuloso!
Poder sair de manhã, com o sol a brilhar no céu,
Ver-te em todo o teu esplendor, força, magia, cor… é fabuloso!
Todos os dias te vejo e em todos eles me espantas!
Os teus mistérios, o teu toque, poder ouvir-te… fascina-me, arrepia-me, encanta-me.
Dias sem te ver são tortura! Vividos em dor e amargura…
É de ti que falo mar, da tua serenidade ritmada. És
Fabuloso, mesmo quando em fúria, explodes violento na areia da praia…
Sandra Lopes

Nós as duas fazemos uma dupla genuína.
Nós quando estamos nas aulas de Língua Portuguesa trabalhamos muito bem.
As ideias sobem ao mesmo tempo ao cérebro das
duas e, quando vamos mostrar à professora o nosso trabalho,
fazemos um grande brilharete em frente à nossa turma,
uma turma espectacular, a professora dá-nos os parabéns por sermos a dupla que somos, por fazermos um óptimo trabalho e por sermos uma equipa
genuína que toda a gente inveja, adora.
Diana Pereira, Cristiana Oliveira e Ana Oliveira, da Escola Básica e Secundária de Fajões do 8ºA.
+
Eu tenho uma boneca que diz Olá!
Eu e a Margarida temos uma linda boneca.
Tenho muita sorte em tê-la. Nunca vou esquecê-la.
Uma tarde, depois da escola, fomos para minha casa brincar com ela.
Boneca ela não é, para nós, é uma amiga que diz Olá, para
que possamos brincar sempre com ela.
Diz Olá sempre que vamos brincar com ela.
Olá diz ela com um sorriso fofinho, maravilhoso é isso que me faz gostar dela.
Raquel e Mariana, do 8ºB da Escola Básica e Secundária de Fajões
+
A Amizade é o que nos une
A vontade de estar com os amigos é muita, pois a
Amizade é o que nos faz levantar da cama, sair de casa mais depressa,
É saber que vamos ver os nossos melhores amigos. É
O medo de uma zanga
Que nos leva a fazer partilhar o mundo e histórias de criança, é o que
Nos leva a partilhar os nossos segredos e é o que nos
Une para todo o sempre
Carlos Oliveira 10ºc nº4 Escola Básica e Secundária de Fajões (30/7/2017 RS)
+
A relação acabou, mas os sentimentos permanecerão!
A minha vida ficou presa ao passado, contigo no pensamento. A nossa
relação não funcionou! Erramos os dois, eu mudei mas tu só mudaste quando
Acabou tudo entre nós. Felizmente, as memórias mantêm-se,
mas mesmo assim, para mim, mesmo querendo-as esquecer é difícil.
Os pensamentos sobre ti e sobre nós permanecem, principalmente os momentos felizes, os
sentimentos ficaram e irão continuar nas memórias e
permanecerão até a minha vida acabar!
André Filipe Silva Oliveira Nº3 Turma: 10º C
+
Eu Adoro não Fazer Absolutamente Nada Pá
EU, quando estou a dormir
adoro ouvir os barulhos da natureza, dos pássaros, porque por acaso,
não estão a cantar, mas sim a chilrear,  porque de facto, a
fazer ninho eles não estão, pois senão eles viam-se a passear.
Absolutamente nada disto é real, visto que eu estou a acordar agora,
nada! Porque ainda por cima,
pá, tenho de ir para a escola, mais valia estar outra vez a sonhar.
João Teixeira Nº10 10ºc
+
A nossa amizade parece um ovo kinder
A cor é um estigma não ultrapassado neste mundo, mas a
nossa amizade supera tudo o que há para superar
amizade somos nós, são as nossas atitudes e para mim tudo
parece um filme antigo, a preto e branco.
Um dia, espero eu, tudo mudará para melhor, tudo ficará mais equilibrado
vvo significará, no futuro, amizade forte e pura
Kinder será doce como o chocolate preto e branco, sem distinção
Joana Soares nº9 10ºc
+
As saudades que sinto de ti, Manuel.
As nossas brincadeiras e os nossos momentos fazem-me ter
saudades. O teu sorriso traz-me felicidade. No dia em
que te vir, vou logo pegar-te ao colo, vou contar-te tantas coisas.
Sinto o teu amor por mim de irmão para irmã.
De mim, nunca sairás. Há três meses nasceste e a
ti, meu amor, eu farei tudo para te ver feliz.
Manuel, muito obrigada por me dares forças e muitas alegrias.
Diana Patrícia Oliveira Pinho  Nº 7  10ºC 
+
Amor é o sentido da minha vida
Amor é o que me fazes sair de dentro de mim,
É o que me dá alegria, no meu dia a dia.
O tal que faz o meu coração palpitar de emoção!
Sentido e cor és tu que dás ao meu viver.
Dás-me carinho, amor, aconchego. És a
Minha felicidade. É tu quem desejo, que quero e preciso.
Vida eterna, cheia de momentos bons e inesquecíveis sempre a teu lado.
Diana Pinho Nº6 10ºC
+
Como esquecer quem tanto me faz lembrar
Como foi isto tudo acontecer? Por vezes, desejo ter-te, outras
esquecer  tudo o que me faz lembrar de ti, da saudade de
quem  foi o meu presente, a razão do meu sorriso, sem querer deixarte-
-me aqui perdida, comigo apenas ficou a saudade, a mágoa.
Faz-me sorrir tudo o que seja sobre ti, até o fantasma da tua presença.
Lembrar-me de ti, é a minha sina, eu amo-te mesmo sozinha.
Adriana de Pinho Moreira,nº1,10ºC
+
A traição é um tiro no coração.
A consequência deste ato depende da nossa decisão, porém a
traição é o cúmulo da dor e do sofrimento e
é sentida nas mais recônditas profundezas da nossa alma.
Um momento bombardeado com doses de esperança que alguém mude, faz explodir o
tiro ardente no fogo submerso na angústia e faz de uma forma sincera acreditar que
no fundo existe um perdão que deixa o
coração menos triste e magoado.
Sofia Gomes, Nº12, 10ºC
+
A vida é um mundo de mistérios
A humanidade está sempre a pensar que a
vida é uma coisa má, mas lá bem no fundo
é a melhor coisa que o ser humano tem, é
um labirinto de incertezas, de sentimentos, de decisões é também um
mundo que nos traz muitas surpresas, umas boas e outras más,
de sonhos que por vezes parecem impossíveis, mas que afinal são possíveis. Estes
mistérios são infinitos e difíceis de explicar.

Ana Cardoso, nº2, 10ºC

Afinal era um grão de café que não tinha um pé
Afinal nem tudo acontecera como planeado.
Era noite escura e fazia
um frio de rachar. O sapo beijoqueiro, duro como um cru
grão de arroz, esperava ansioso o amanhecer.
De quando em vez, olhava o horizonte e nada. A hora do
café aproximava-se e o sol não apontava.
Que chatice!
Não se transformaria num belo príncipe?
Tinha que fazer alguma coisa. Mas o quê? Brincaaaarrrr!
Um dó li tá! Salto ao
coxinho ou engulo um sabiá?!
Paula Erra, 38 anos, Funchal, Madeira

Debaixo desse teu olhar feliz, habitam monstros.
Debaixo da tua cama não há espaço para tantos monstros
desse tamanho, disse-te sorrindo para quebrar o silêncio do
teu rosto. - Foste lá ver? A tua voz ganhava um outro
olhar. Falava agora a solidão, desenhando e ilustrando uma página menos
feliz. - Não fujas! Vamos procurá-los, Nós duas, numa aventura épica onde
habitam fantasmas, bruxas, fadas, gnomos, princesas e estórias maravilhosas de muitos monstros. – Queres que os assuste?
Manuela Ferrer

De dia viam-se muito pouco, mas de noite…
Saiam de casa, já com os pais a dormir, dois rapazes, irmãos e iam para casa de um primo que era mais velho, para se divertirem.
Quando saíam de casa do primo, iam para um enorme campo de futebol, bem iluminado por uns enormes holofotes, e ali ficavam a jogar durante umas longas e divertidíssimas horas.
Finalmente, iam para casa dormir.
Durante o dia pareciam uns santinhos,
Quem diria…
Tiago Martins         

4.º Ano E.B. 1 de Real – Vilar do Pinheiro
A alegria de poder viver com felicidade!
A nossa vida tem bastante felicidade, amor e muita alegria!
Alegria de poder conviver com os nossos familiares e amigos
de infância, da qual aproveitávamos ao máximo possível para
poder brincar bastante, sonhar ao pé deles e também poder
viver com todos aqueles com quem podemos contar na vida,
com a maior confiança neles e acreditar que a nossa
felicidade pode durar para sempre no nosso doce e grande coração!
Tiago Mota
Bruna Teixeira
+                    
As palavras que eu sempre te direi
As coisas que faço, tudo te conto, asneiras, coisas assim…
palavras que digo, palavras feias, mas que te conto sempre
que me aliviam bastante por seres muito especial para mim!
Eu gosto, eu quero, eu preciso de ti, aqui, comigo!
Sempre te direi que me sinto bem ao teu lado,
te contarei sempre mistérios, aventuras, desventuras, mas o que te
direi, é que vais estar sempre presente no meu coração!
Inês Queirós
Gonçalo Neves
+
A imaginação pode ser bela e divertida!
A nossa imaginação pode se tornar um paraíso quando queremos!
Imaginação é o que se torna mais inspirador para todos!
Pode ser que quando menos esperamos, os desejos se concretizem!
Ser alegre e acreditar nos sonhos é saudável para todos!
Bela é a vida que felizmente podemos aproveitar muito bem
e sorrir é a melhor coisa que podemos fazer sempre!
Divertida é a imaginação que entra dentro do nosso coração!
Tiago Miranda
Catarina Parchão
+
Amizade é uma dádiva que vive eternamente
Amizade é uma grande aventura que se vive no dia-a-dia,
é uma aventura sem fim e um ato muito bonito,
uma dádiva fantástica que se experimenta durante toda a vida,
dádiva que nasce no nosso coração que nunca irá morrer,
que vive na nossa alma, é o nosso fogo interior,
vive eternamente dentro de nós, para sempre dentro de nós…
eternamente será a nossa amizade e nunca findará, viverá sempre!
Daniel Dias
Margarida Mendes

A história deliciosa da professora Lígia Canossa para os seus alunos, pois passarão para o 2º ciclo:
Não procurem o final feliz, mas felicidade!
Não desperdicem nunca um só dia da vossa bela vida!
Procurem alcançar os sonhos, celebrando o sabor de cada vitória!
O futuro pertence-vos, está nas vossas mãos lutar e ganhar!
Final é o fim de algo, mas certamente o início
feliz de uma fase repleta de novas e grandes aprendizagens!
Mas há que acreditar que o saber nunca é demais!
Felicidade não é meta, mas sim a soma das conquistas!

A Natureza é a base da vida
A harmonia é o que temos para nos darmos bem!
Natureza é bela e agradável para nos inspirarmos e alegrarmos!
É a felicidade que nos transmite a alegria de viver!
A amizade é a alegria de podermos sorrir e divertir!
Base da vida é o coração estar cheio de felicidade!
Da imaginação surge a inspiração para fazer belos poemas incríveis!
Vida é um instrumento que se toca com o coração!
Pedro Freitas e Beatriz Fernandes – 4.º Ano E.B. 1 de Real – Vilar do Pinheiro

O amor paga-se com dinheiro do coração!
O meu coração bate mil vezes por minuto de emoção!
Amor levanta-se em qualquer situação de desespero ou de esperança!
Paga-se em qualquer momento que se precise, tu ou ele.
Com alegria, paciência e confiança se faz uma relação par.
Dinheiro é preciso mas o amor é preciso ainda mais.
Do céu espero que caia amor, é o meu desejo.
Coração, coração sem dono, é e será coração sem dono…
Bárbara Nunes e João Silva – 4.º Ano E.B. 1 de Real – Vilar do Pinheiro

O Moinho de Maré é muito divertido.
O nosso concelho tem vários moinhos de maré. Nós fomos ao
Moinho de Maré de Corroios. Tem oito arcos e alguns gatos
de ferro. Tem oito engenhos que são movidos pela força da
Maré. Lá, o moleiro vai transformar os cereais em farinha que
é um ingrediente indispensável para fazer o pão que é mesmo
muito importante. Conhecer o moinho através de adivinhas e provérbios é
divertido, interessante e muito enriquecedor. É um monumento que devemos preservar.
3ºD, profª Zélia, EB1/JI Alto do Moinho, Corroios

Filho de andaluz e de aspecto trigueiro,
filho primogénito do Ti Simón, não respeitava nada nem ninguém.
De arma em punho, caminhava de forma pesada pela vila
andaluz, com uma evidente atitude grosseira e herege no rosto,
e desafiava até mulheres que se atravessassem no seu caminho.
De manhãsubia as colinas de estradas sinuosas, sempre com
aspecto agressivo, furioso. A barba por fazer e o ar
trigueiro, despertavam em todos desejos de violência e de morte.
Sandra Paulino

As histórias da EBS de Fajões
Margarida Fonseca Santos: Uma surpresa agradavelmente deliciosa…
Margarida, Maria Rapaz na adolescência.
Fonseca pela parte da mãe? Provavelmente…
Santos pela parte do seu querido pai? É o mais certo.
Uma mulher incrível, divertida, engraçada, generosa e genuína!
Surpresa foi o que o clube de Oficina de Escrita lhe fez na Escola Básica e Secundária de Fajões.
Agradavelmente fomos surpreendidos pela abertura, disponibilidade, sensibilidade e saberes partilhados.
Deliciosa e audaz, proporcionou fugazes momentos que queremos relembrar e para sempre eternizar!
Joel Santos, Rafael Pinho – 8ºA – E.B.S de Fajões.
+
Eu tenho uma boneca que diz Olá!
Eu e a Margarida temos uma linda boneca.
Tenho muita sorte em tê-la. Nunca vou esquecê-la.
Uma tarde, depois da escola, fomos para minha casa brincar com ela.
Boneca ela não é, para nós, é uma amiga que diz Olá, para
que possamos brincar sempre com ela.
Diz Olá sempre que vamos brincar com ela.
Olá diz ela com um sorriso fofinho, maravilhoso é isso que me faz gostar dela.
Raquel e Mariana, Escola Básica e Secundária de Fajões do 8ºB
+
Nós as duas fazemos uma dupla genuína.
Nós quando estamos nas aulas de Língua Portuguesa trabalhamos muito bem.
As ideias sobem ao mesmo tempo ao cérebro das
duas e, quando vamos mostrar à professora o nosso trabalho,
fazemos um grande brilharete em frente à nossa turma,
uma turma espectacular, a professora dá-nos os parabéns por sermos a dupla que somos, por fazermos um óptimo trabalho e por sermos uma equipa
genuína que toda a gente inveja, adora.
Diana Pereira, Cristiana Oliveira e Ana Oliveira, Escola Básica e Secundária de Fajões do 8ºA
+
Livros, palavras são o melhor do mundo
Livros são aventuras, companhia, um amigo, um confidente, uma amizade eterna.
Palavras e letras que conjugadas são o melhor que se pode ter.
São únicos, diferentes, exclusivos e extraordinários como prendas.
O eterno mundo através da palavra, numa ideia, num livro.
Melhor! Tinha que ser inventado pois nada se lhes compara.
Do mais antigo ao mais novo. Um
Mundo ao alcance de todos nós: basta abri-los, ler, aprender e gostar.
Filipa Oliveira Costa, Nº10, 8ºB, Escola Básica e Secundária de Fajões
+
Danço com as pontinhas dos dedos, acreditas?
Danço com as pontinhas dos meus dedos dos pés
Com paixão, fecho os meus olhos e imagino-me numa longa jornada de sons
Às vezes refugio-me em ti de
Pontinhas eu sigo o ritmo das batidas
Dos mais agudos aos mais graves acordes da música          
Dedos todos os dias, todas as noites ninguém nos pára, seremos sempre eu e tu.
Acreditas num amor diferente? Dança e sente a coreografia em ti!
Jéssica Resende, nº8, 10ºC

Rascunho, rabisco, rasuro, rasgo, risco, escrevo, reescrevo.
Rascunho uma ideia louca que faísca inesperada numa sinapse inquieta.
Rabisco uma frase solta, livre do contexto que a apouca.
Rasuro letras, palavras, frases inteiras. Elefantes em lojas de cristal.
Rasgo regras e conceitos, frases feitas, que doutras tenho dó!
Risco sonhos coloridos e sonoras harmonias, palavras que sugerem especiarias.
Escrevo cautelosamente, miro e remiro, saboreio e cheiro cada palavra.
Reescrevo surpreso. Prazer continuado, que outra sinapse inquieta se avizinha...
Luís Marrana, 52 anos, Vila Nova de Gaia

Eu sei o que fazer, mas como?
Eu gosto de escrever, mas como posso então fazê-lo? Eu
sei... Até sei, mas estarei com alguma vontade de criar?
O que eu sei é que não sei... Que fazer?!
Que é que eu hei-de fazer com a minha vida?
Fazer acrobacias, jogar à macaca, ao pião ou às caricas...
Mas agora que penso bem, porque penso nestas coisas... Saberei
como fazer? Que bela diversão... Pensar tudo, sem fazer nada!
Rickyoescritor, 11 anos Pedroso, VNG

SENTI a aragem fresca e o sol que despontava no horizonte, a banhar-me o rosto.
QUE tranquilidade!
os pássaros chilreavam, alegremente e, ouvia-se o ruído leve da geada, (que se 
      tinha formado de noite) a quebrar, sob os passos.
FAZ sentir-mo-nos em paz!
FALTA... nada!
QUEM passa pela ribeira, maravilha-se com a água clara, correndo, no seu leito.
ESTÁ a terminar o dia, o sol esconde-se em lindos tons de fogo; a brisa continua a 
          acariciar-nos!
Arminda Montez, 75 anos, Queluz

Ah, era um ouriço, fiquei mais descansada.
AH, que tremendo contratempo! E inesperado; inspeccionámos devidamente o carro.
ERA o segundo dia de viagem, num país estrangeiro, bolas!
UM furo!? Nada disso, foi uma peça que se partiu!
OURIÇO... muitos ouriços, que caíam, com as suas castanhas dentro.
FIQUEI acampada perto dum pomar de castanheiros, até seguirmos viagem.
MAIS tranquila, repousei, dado  que não podia fazer outra coisa.
DESCANSADA demais... até adormeci e sonhei, que não existiam avarias.
Arminda Montez, 75 anos, Queluz

COMO SE ISSO AGORA TIVESSE IMPORTÂNCIA ALGUMA
COMO se metera nesta situação? Não sabia, nem tampouco compreendia.
SE ao menos percebesse como começara! Os motivos! Se os houvesse!
ISSO tornava as coisas bem mais fáceis. Seria? Estas coisas tornam-se fáceis?
AGORA não interessa se são fáceis ou difíceis!
TIVESSE tomado atenção aos sinais que estavam à vista, só ela não via.
IMPORTÂNCIA? Bem, agora não tinha nenhuma. Mas traição? Nunca admitiria!
ALGUMA coisa de havia de resolver, afinal não era o fim do mundo!
Carla Silva, 39 anos, Barbacena, Elvas

Hum! Eu gosto tanto de chocolate preto!
Hum! Há dias em que não posso passar sem chocolate!
Eu gosto do preto pelo seu sabor intenso e amargo,
Gosto do prazer que me dá sempre que o saboreio,
Tanto sei que ele é saudável para a minha saúde!
De facto, ao tocar as papilas, transmite alegria e o
Chocolate espalha pela minha casa o cheiro delicioso, o
Preto dá-lhe ainda mais força, caráter e sobretudo beleza.
Cecília Alves, 47 anos, Voinsles, França

Ouvir o telefone tocar era enorme aflição!
Ouvir aquela voz ao longe, mesmo que quase dormindo parecia sonho de todos os dias, por isso perto do telefone ficava, dia após dia, hora por hora, cada segundo. Tocar o coração seria um desejo ansiado, ficar tudo bem era o presente que esperava dos céus, de Natal talvez.
Enorme fora o amor desperdiçado, o tempo que passa incólume. Aflição demais, e um imenso arrependimento. Quisera fosse sonho... quisera...
Roseane Ferreira, Macapá, Estado de Amapá, Brasil

Desde que comecei a escrever não parei.
Não sabia se conseguiria ou não; por isso, tentei. Desde que o comecei a fazer, o entusiasmo foi tanto, que quando vou dormir só penso em temas para escrever. Comecei com muitas dúvidas, pois não sabia se conseguia fazê-lo. A minha professora de poesia deu-me algumas dicas. Começa-se a escrever e o bichinho da escrita fica dentro de nós. Como não posso escrever mais de setenta e sete palavras parei.
São Sebastião, 68 anos, Glória Estremoz

Tudo acontece por uma razão, descobri-o depressa!
Tudo
 me acontece, sou mesmo uma azarenta de primeira classe!
Acontece sempre alguma coisa para me fazer perder a razão!
Por vezes consigo dar a volta mas não é nada fácil!
Uma! Só preciso de uma pessoa que me ajude.
Razão! Estou cheia dela, mesmo que por vezes esteja escondida.
Descobri-o! Aquilo que me irá dar sorte mas, por favor...
Depressa! Tempo é coisa que não tenho, mesmo que tente.
Bruna Gomes, 12 anos, Arrifana, Santa Maria da Feira

Preparar o futuro significa fundamentar o presente.
Preparar o livro para a editora fora uma tarefa difícil.
O livro, parte de si, agora iria ser avaliado. O
Futuro era então um período de espera, de avaliação, que
Significa estar à mercê da opinião de alguns supostos peritos.
Fundamentar a recusa de publicação, era uma hipótese, não desejada.
O que ansiava não era tanto a aprovação da editora.
Presente… seria o livro ser, para o público, um sucesso.
Amélia Meireles, 62 anos, Ponta Delgada

O teu silêncio marca os meus dias.
O
doloroso é ficar sempre sem ti dia após dia.
Teu viver afinal tão a contragosto de uma presença desejada.
Silêncio penoso com que me presenteias todas as semanas, meses.
Marca o meu viver solitário, sofrido e despojado de afectos.
Os anos a passarem arrastados e desencantados num sonho adiado.
Meus tormentos, por te amar e distante estar de ti.
Dias sem alegria, os vividos sem o teu amor presente.
Rosa Maria Pocinho dos Santos Alves, 52 anos, Vila Nova de Ancos

A Maria atleta não gosta de bicicleta
A sua segunda-feira é um dia complicado mas a Maria consegue sempre acordar e nem costuma refilar.
Ser uma atleta não foi sonho, ela corre com grande prazer e não se cansa facilmente. É leve como uma pena! Gosta de velocidade e ninguém a apanha... mas ainda ontem, de repente, chocou com vizinho barrigudo que saía de trotinete! Biciclete, quero eu dizer... Pobre barrigudo que nem levava o capacete!
Mariana Sanchez, 37 anos, Barcelona

ONDULA ONDA ONDULANTE, ONDE VAI... ONDA CAI!
Ondula a tua mão no meu cabelo "cutucando" desejos meus.
Onda que levanta ebulição, semeando borboletas em frenesim pelo corpo.
Ondulante, baralhas fios, teces um coração sofrido. Sinto-te nu, amor!
Onde anda aquela paz que te invade quando me sente?
Vai, amor meu, apazigua tuas insónias...  vai e busca Afrodite.
Onda que semeia ebulição... levanta borboletas pelo corpo em frenesim...
cai-me nos braços de seda, deixa-me levar-te pela melodiosa brisa.
Eurídice Rocha, 50 anos, Coimbra

Doces sons à beira do tranquilo mar
Doces e rítmicos compassos
ecoados pelo bater dos remos vigorosos.
Sons calmos de ondas sinuosas
que baloiçam prazenteiras e risonhas
à procura de almas marinheiras
que, saudosas, desejam com ardor,
beira onde algum dia, esgotadas,
poder voltar a arribar fecundas
do morno e saudoso rebolar
das paixões e das lembranças.
Tranquilo prossegue o monótono canto
pelas cordas do vento atemperado.
Mar de espumas prateadas
que deixa ouvir o seu lamento.
Mónica Marcos Celestino, 43 anos, Escuela Oficial de Idiomas, Salamanca, Espanha

Voltei ao trabalho tentando não me distrair
Voltei para a minha mesa e escrevi o meu texto
Ao menos tentei fazer o trabalho como todos os outros
Trabalho, trabalho e mais trabalho, só nisso pensam os adultos!
Tentando me focar não atendi o telemóvel ao meu patrão!
Não, não! Só faço asneiras! Focada ou distraída lixo-me sempre
Me encanto com esta música. Veem?? Já me voltei a ....
Distrair!! Distraída nasci, assim sou e assim morrerei! Paciência…
Mariana Martins, 12 anos, Barcelos

Descrever-te é doloroso como desinventar o amor.
Descrever-te, através de grafia ou via oral, é extremamente complexo.
É impossível depauperar interiormente um ser valioso intelectualmente ― és genial!
Doloroso ― é o adjectivo que melhor caracteriza o teu afastamento.
Como é penoso o tempo que passas longe de mim!
Desinventar as saudades que por ti sinto... é absolutamente irrealizável!
O meu coração abriga por ti sentimentos profundos e verdadeiros.
Amor, descrever-te é tão custoso como deixar de te adorar.
Susana Sofia Miranda Santos, 38 anos, Porto

A tua felicidade é um deleite, obrigada!
A vinte e três de setembro do ano vigente lá estarei! Tua vontade é que eu esteja presente neste dia tão especial. Felicidade, sinto, por ir brindar convosco à celebração do vosso amor. É certo que me emocionarei, sou uma romântica incorrigível, sabias disso?
Um vinho, daqueles que tanto aprecias já estará, com certeza, escolhido… Deleite, sentirei, testemunhando o teu casamento com vossos amigos e familiares.
Obrigada, sei que tu e a Rita serão muito, muito felizes!
Mireille Amaral, 42 anos, Gondomar 



Com afeto acabamos com a guerra e nasce a harmonia.
A todos cabe a tarefa de a cultivar. Sempre! Sempre!
Paz é um direito universal, é importante de se preservar.
Construímos apertados laços de afeto que combaterão violência e guerra.
Pontes construídas na imaginação buscam o outro que está além.
No grande sonho de uma vida pacífica, a alegria sobressai.
Mundo perfeito onde as crianças querem crescer e viver, exige-se!
Beatriz Valente, 13 anos, Agrupamento de Escolas João da Silva Correia, S. João da Madeira, prof Ana Paula Oliveira

Dois mundos poderão ser um só se a paz reinar.
O mundo precisa de paz para todos serem muito felizes.
Ideal é toda a gente unir-se contra as guerras mundiais,
Para que haja fraternidade e união entre todos os Homens.
Fazer guerra é próprio de alguém sem amor no coração.
A paz traz felicidade, união e calma a todos nós.
Paz, palavra tão pequena, mas com um significado tão grande!
Tomás Pereira, 13 anos, Agrupamento de Escolas João da Silva Correia, S. João da Madeira, prof Ana Paula Oliveira

Paz é uma coisa de que o mundo muito precisa.
No futuro, espero que as guerras e os conflitos desapareçam.
Mundo ideal é um mundo tranquilo e cheio de amizade.
Para ser realmente bom, haja paz em todo o lado.
Um lugar pacífico é um lugar perfeito, ideal para viver.
Mundo perfeito é onde todas as pessoas vivem em harmonia.
Perfeito seria um mundo em que a paz reinasse totalmente.
Leonardo Leal, 13 anos, Agrupamento de Escolas João da Silva Correia, S. João da Madeira, prof Ana Paula Oliveira

Um mundo de paz seria muito melhor para a humanidade.
Sorriso, a feição mais bonita de qualquer pessoa: homem, mulher!
Apenas naqueles que têm um coração bondoso ele sempre vive.
Pode acabar com injustiças, alegrar os dias de quem sofre,
trazer uma nova esperança sem medo do que poderá acontecer.
A guerra, a revolta, o conflito, o ódio, seriam inexistentes.
Paz, uma das palavras mais bonitas, um mundo em harmonia.
Íris Neves, 13 anos, Agrupamento de Escolas João da Silva Correia, S. João da Madeira, prof Ana Paula Oliveira

Encontramos muitos corpos no chão após todas as guerras existentes.
A máquina que estimula o mal origina as piores guerras.
Paz é a melhor solução para haver harmonia na Terra.
Ao matar alguém, só alimentamos o ódio que nos destrói.
Lutar pela paz é essencial para a felicidade na Terra.
Por estar ameaçada, isso não significa o fim da vida.
Ela continua a existir, mesmo que não se consiga ver.
Gonçalo Sousa,13 anos, Agrupamento de Escolas João da Silva Correia, S. João da Madeira, prof Ana Paula Oliveira

O propósito da guerra é a paz?
O Homem nem sempre procura a paz da melhor forma.
Propósito? Na minha opinião, guerra traz o contrário de paz.
Da guerra surgem vários problemas que prejudicam o nosso planeta.
Guerra é o Homem que a faz, embora queira paz.
É com amor e alegria que podemos encontrar a paz.
A paz é tão urgente para termos uma vida melhor!
Paz! Com um sorriso apenas, pode-se fazer toda a diferença.
Rita Nunes, 13 anos, Agrupamento de Escolas João da Silva Correia, S. João da Madeira, prof Ana Paula Oliveira

O Homem é capaz de ser Solidário
vento surgira de repente e varria impiedosamente o convés.
Homem ao mar ― gritou o Comandante, alertando a tripulação exausta.
É preciso ter cuidado, agora. Não podemos arriscar mais vidas.
Capaz de cumprir e fazer respeitar as Normas de Segurança;
De manter bem alto o Espírito de Equipa, quando necessário.
Ser responsável, não basta. É preciso saber Unir os Homens.
Solidário ― sê-lo na hora crucial, quando tudo desaba, é urgente!
Margarida Freire, 75 anos - Moita

AHAHAHAHAH
EU? ET? Há ali um que o tratam por et, há!
GOVERNO? se calhar devia ser melhor governado por ETs, se calhar!
MUNDO? É cheio de injustiças, mas há imagens bonitas na natureza.
Não, quando não estou nisto consigo, mas, quando estou, não consigo
É de… não me está sair palavra…. parece bloqueio , é isso!
um não conseguir na cabeça… cinzenta… uma nuvem grande.
ET ― são dois ETs, ai que caraças, estou a brincar consigo.
Sérgio Felício, 37 anos, Coimbra


A árvore grande era conhecida em toda a ilha e essa
árvore era bonita e muito importante. Tinha uma copa redonda que
era o orgulho de todos os aldeões. Mas aquela árvore muito
bonita tapava as ruas e as casas com a sua sombra
e decidiram cortá-la, dividir a madeira toda e fazer uma barca
muito grande para viajar pelo mar. Assim, nunca esqueceram a árvore
importante e especial que era a alegria de toda aquela ilha.
3ºA da EB Alto do Moinho, Agrupamento de Escolas de Vale Milhaços – Corroios, prof Cristina Pimenta
Frase retirada de "A árvore", de Sophia de Melo Breyner

O José, muito feliz, assistiu ao jogo de futebol, em Lisboa.
Meu amigo vinha equipado a rigor, mas todo esfarrapado, porque brigou.
Modo disfarçado, lá foi subindo lentamente as escadas, cambaleando, tropeçando, envergonhado.
De manhã, a mãe ficou nervosíssima, devido à confusão naquelas escadas.
Saber tudo o que tinha acontecido era difícil, mas procurou investigar.
É difícil de aceitar para qualquer mãe, o José tinha bebido!
Adoecendo, permaneceu deitado até que a mãe decidiu fazer-lhe um chá.
Martim Mendes, 14 anos, Lisboa
Frase retirada do Poema de Mia Couto “A Luz da dor”

Ah, era um ouriço, fiquei mais descansada!
Ah, que susto, nem imaginam!!! Aquele som, que se ouvia,
era assustador, e eu não percebia quem o podia fazer.
Um leão, não era de certeza… Seria então uma cobra? Um
Ouriço?! Estava a delirar, já se vê, era tudo mentira…
Fiquei quieta, a pensar que aquele fruto da minha imaginação
mais uma vez me distraíra. Voltei ao trabalho, queria ficar
descansada, acabá-lo. E não é que o som voltou?! Bolas!!!
Zé Maria, 37 anos, Sintra

Acompanhar cantar vagabundo daqueles que alegram mundo
Acompanhar a presença daqueles dois era privilégio.
Cantar músicas juntos que lhes despertassem alegrias tornara-se imperativo.
Vagabundo éramos, não havia nem Eu nem Ela, éramos Nós; não tínhamos lar, éramos de onde estivesse o outro;
Daqueles com quem sabe bem viver, isso sabia-lhes bem saber; já existiam melhor por saber que um e outro existiam,
Que amam, sabem ser amados,
Alegram qualquer espaço,
Mundo lindo e Mágico: Amor!
Zé Maria, 37 anos, Sintra

Frase: A louca aprisionada pelos monstros do poente (Vinícius de Moraes).
A incerteza dos dias, a angústia, mina-lhe a existência: urge partir!
Louca de insatisfação, percorre terminais, consulta horários, embarca no primeiro navio.
Aprisionada na rede que ela própria construiu, abandona-se à brisa oceânica.
Pelos albóis da pequena cabine irrompe então, cintilante, o conjunto estelar.
Monstros celestes, assim os imagina, deslizam velozes por todo o espaço.
Do espanto ao êxtase, estranhas sensações a assolam. Navegando na direção
Poente, revê-se no mar alteroso; na bonança vislumbra centelhas de Vida.
Helena Rosinha, 65 anos, Vila Franca de Xira

A vida é uma viagem, aproveite-a bem. A primeira noção é essa, não ficamos com nada na vida. É apenas uma passagem sem igual sem hipótese de repetição. É uma aprendizagem profunda sobre as sensações de ser humano. Uma viagem da nossa alma, do nosso ser enquanto crianças que somos. Viagem em que  se pode aprender com os erros e evoluir. Aproveite-a. Pode ser a razão desta viagem tornarmos melhores e bem sorridentes em vez de deprimidos.

Marta Sousa, 32 anos, Barreiro

Sem comentários:

Enviar um comentário