19/07/12

EXEMPLOS - desafio nº 13

Como não era supersticioso, aproveitou a promoção da Pensão Gato Preto. Só que as coisas não correram bem. Depois do nevoeiro lhe ter estragado o dia de praia, foi para o quarto. A cama rangia como cem demónios arrenegados. A luz do candeeiro piscava de forma sobrenatural. Inoperacional, a TV exibia apenas uma estranha «chuva miudinha». Resignou-se.
Desligou tudo, deitou-se no tapete e dormiu como um anjo.
Que mais poderia esperar de uma sexta-feira 13? Era barata...!
Carlos Alberto Silva, Leiria.

Todos teimavam em crer que tudo sairia errado. Era sexta, 13.
Betina, dizia a todos que gostava dessa data, que se sentia bruxa e era um dia especial...Farei uma comida especial!
- Querem vir ao happy hour? Todos se olharam.
- Vamos hoje nos aproveitar dessa bruxa!!
Aceitaram e ela, como bruxa, sabia o motivo...
Ficaram indignados com já com o prato da entrada, correram todos, mas
que mais poderiam esperar de uma sexta-feira 13? Era barata...!

Era barata. Peguei nela e nunca mais a larguei. Vi que todos me olhavam de uma forma estranha. Quem se atrevia a semelhante coisa, especialmente naquele dia? Não liguei e continuei a minha caminhada, confiante.
Cheguei à caixa e paguei.
Só quando entrei em casa e aquela a quem já tinha batizado de Bárbara (uma gata negra como o breu) saltou para a prateleira dos cristais, entendi.
 
Que mais poderia esperar de uma sexta-feira 13? Era barata…!
Bau Pires

O facto de ser francesa e a provocação do nome “Jalousie” derreteu-lhe os sentidos. E em promoção, melhor ainda!
Sentou-se numa pequena mesa redonda da esplanada e despiu-a, primeiro com o olhar guloso, depois com os lábios, língua e dentes salivados de prazer. Não demorou muito a devorá-la, tal o desejo que o seu aspeto lhe provocou.
Horas depois desmaiou. Acordou no hospital com uma impertinente salmonela.
Que mais poderia esperar de uma sexta-feira 13? Era barata…!
Ana Paula Oliveira

Dormência primaveril
Dormente, naquele sono primaveril e lascivo, ouvi aquele som seco e abafado. Entre o sonho e os primeiros raios do dia, não discerni e misturei sensações. Seriam as memórias doces da infância, da chegada do pai a casa com a oferta para a filha casula? O bater do coração aos 17 anos, amor que nunca esqueci e que hoje faz-me ficar assim, perdida, mulher, no amanhecer? Que mais poderia esperar de uma sexta – feira 13? Era barata…!
Rosa Maria Moreira – Mealhada

Atravessa-lhe um gato preto pelo caminho! Evita-o! Passa por baixo de um escadote, fazendo tombar uma lata de tinta! Ao desviar-se dá-se conta do seu reflexo num espelho! Afasta-se para ver melhor e escorrega na ponta do passeio. Devagar vê os ovos que trazia a voarem! Antes de levar com eles na testa, lembra-se da sola que perdeu de um dos sapatos! E sorri.
Que mais poderia esperar de uma sexta-feira 13? Era barata...!
Marco Carreira

O porão e o baú
Juca e Pedrinho estavam brincando no quintal, quando resolveram explorar o porão de casa. Não sabiam se as risadinhas eram provenientes da travessura...ou do medo. Adentraram o local escuro, com cheiro de umidade e mistério no ar. Com os olhos acostumados à escuridão, vasculharam caixas à procura de algo interessante. Foi então que um barulho dentro do baú tomou os dois de sobressalto. Espiram temerosos e...
Que mais poderiam esperar de uma sexta-feira 13? Era barata...!
Bia Hain, Brasil

Enviando para o fundo perdido do meu consciente o aviso maternal de «o barato sai caro», montei na bicicleta e fiz-me à estrada. Deleitando-me com o vento que me espalhava os cabelos, pedalava orgulhosa dos cromados a que afincadamente tinha dado brilho.
Foi quando necessitei travar que tudo se complicou. O calce saltou, o travão não travou e a areia acolhei-me sem grande gentileza, ferindo-me o orgulho.
Que mais poderia esperar de uma sexta-feira 13? Era barata...!
Quita Miguel

O DIA CHUVOSO
O inverno traz destas coisas. Chuva e frio. Mas naquele dia parecia que o céu ia desabar sobre a terra. Algum motivo muito forte fazia as nuvens chorarem em pranto. Preferi não pensar nisso e dormir. Durante o sono saí da cidade e entrei numa floresta densa e escura. Mil criaturas horríveis davam-me as boas vindas. Despertei sobressaltada, e liguei a televisão, mas um choque elétrico estourou-a. Que mais poderia esperar de uma sexta-feira 13? Era barata…!
+
O DIA DE AZARES
Eram 8h22m quando liguei o carro e não respondeu. Estava atrasada e o autocarro fugia da paragem. Tentei um táxi, mas um grupo de miúdos a correr pela rua abaixo, impediram-me de entrar na viatura e outra pessoa a roubou. Pensei ir a pé, quando o tacão prendeu-se na calçada. O dia estava perdido e só queria descansar, mas ao rodar a chave na fechadura, esta bloqueou. Que mais poderia esperar de uma sexta-feira 13? Era barata…!
+
O DIA DO ANIVERSÁRIO
A Maria estava radiante. O dia 13 chegara e estava desejosa para comemorar o aniversário. Era sexta-feira, o mesmo dia em que tinha nascido e fazia 13 anos. Para não contrariar o número, só tinha convidado 13 pessoas. Ansiava que aparecessem, com presentes ou não, o importante era a festa, apesar de humilde. Eram 16h04m. Estavam 4m atrasados, não havia azar. Mas às 20h13m a tristeza abateu-a. Que mais poderia esperar de uma sexta-feira 13? Era barata…!
Vanda Pinheiro

Naquela manhã, sentiu uma estranha vontade de viajar! Josué nunca queria sair do quarto!
Donde vinha aquele desejo? Talvez por ter visto uma borboleta, um passarito no jardim; talvez... Não sabia!
Olhou para o calendário e reparou que as férias estavam perto e podia traçar projectos.
De repente, pensou: Hoje é um dia especial, vou fazer um círculo vermelho na data.
Ficou de boca aberta! Exclamou: que mais poderia esperar de uma 6ª feira 13? Era barata...!
Ana Santos

Azar de Sexta-feira 13... (Não acham?)
Era sexta-feira 13.
Como óbvio, eu estava pronta a submeter-me às circunstâncias azaradas, que estariam para vir...
Andava eu, isolada de tudo o resto, quando olhei para a montra de uma loja, que dizia:
"Não perca! Televisor de 1000 por 800 polegadas, com todas as funcionalidades a apenas 30 euros!"
Não perdi tempo e comprei-a...
Já em casa, decidi experimentá-la...
Mas afinal era só madeira...
Pois bem...
Que mais poderia esperar de uma sexta-feira 13? Era barata...
Rickyoescritor,11 anos, Pedroso, VNG

Que azar!
Não dá ouvidos a superstições!
Vê um gato preto e, a reacção é igual, para todos os gatos. São felinos,
com os quais não simpatiza.
Às escadas, ou penas caídas, nem as vê!
Porém, acordou numa sexta-feira 13, sem vontade de sair da cama!
Excepção à regra...
Não podia adiar... Tinha reunião...
Ao sentar-se para o pequeno almoço, a cadeira partiu-se!
Caiu... Magoou-se...
Agora passava a acreditar!
Que mais poderia esperar de uma sexta-feira 13?
Era barata...!
Arminda Montez, 75 anos, Queluz

Azares
Que mais poderia acontecer? A casa ficara destruída e ainda por cima tudo o que estava lá dentro também. Portanto, implicava mudar-se e adquirir coisas novas. Não bastava tudo isto! Até seu marido ficara ferido na confusão. Ela própria por pouco não fora apanhada! Tudo parecia correr mal. A família também fora desalojada e não eram bem recebidos em lugar algum, por incrível que parecesse! Mas também que mais poderia esperar de uma sexta-feira 13? Era barata!
Carla Silva, 39 anos, Barbacena, Elvas

Aquele dia não podia ter sido pior para a Senhora Barata! Fora espezinhada, expulsa, esmagada pelo menos umas quatro vezes e ainda vaporizada! Uff! Que dia! Tudo porque tentou arranjar boleia! Pobre barata, fosse quem fosse que a visse começava logo a gritar: “FORA DAQUI! QUE NOJO!” Não percebia o porquê de tanto ódio face à sua espécie. Mas bem, aquele era, definitivamente, um dia para esquecer. Que mais poderia esperar de uma sexta-feira 13? Era barata...!
Liliana Macedo,16 anos, Ovar 

Chá inusitado
Dona era seu nome no mundo místico. Cabelos fartos, esguia, o que mais a assemelhava as bruxas era o olhar, misterioso, indagador, invasivo, profundo, às vezes distante. Naquele dia, preparou o famoso caldeirão, várias especiarias para os normais, intrigantes, mas apropriados ao momento. As amigas chegaram e logo serviu a entrada, chá detox (de corpo e alma)! Após o primeiro gole (delicioso), um grito estridente ecoou!
Também que mais poderia esperar de uma sexta-feira 13? Era barata...!
Roseane Ferreira, Estado do Amapá, Macapá, Extremo Norte do Brasil

Foi numa sexta-feira 13... nunca fui de ligar a superstições.
Saí para almoçar com uma amiga numa esplanada à beira-mar.
Ela muito ligada ao tema, ia desfiando um rosário de azares  
nesses dias... eu encolhidinha de riso.
Pronta a deliciar-me com um robalo grelhado... olho para
o prato...  O que que vejo? Logo eu... que nem acreditava nesses dias...
Havia ali algo, que não pertencia ao menu... 
que mais poderia esperar de uma sexta-feira 13. Era BARATA...!
Maria Cabral - Azeitão 

Estava pronta para aquele evento. Era vital que corresse bem. Dali poderia depender o seu futuro. Era a oportunidade única de colaborar com aquele iminente cientista. Sem tempo para compras, pediu a mala emprestada à sua amiga Lídia. Era muito bonita, apesar de ter sido comprada na feira. Não contou com aquela chuva torrencial. A umbrella voou e os táxis pareciam ter evaporado. Molhada, a carteira desfez-se. Que mais poderia esperar de uma sexta-feira 13? Era barata...!

Amélia Meireles, 62 anos, Ponta Delgada


Tivera de fugir
Escorregara por um tubo escuro, estreito, cheio de humidade, lama e com um cheiro bem fedorento. Daqueles a ficarem entranhados por vários dias. Já no exterior, tivera de fugir, mais do que a sete pés – não os tinha! Seria óptimo ser centopeia nessas situações! – à frente de uma vassoura. Quase fora pisada, sem piedade. Por pouco ficara presa numa enormíssima teia de aranha preta e feia. Que mais poderia esperar de uma sexta feira 13? Era barata!
Rosa Maria Pocinho dos Santos Alves, 52 anos, Coimbra

Um gato negro como breu,
fez amizade com uma ratinha simpática
e aventureira.
Convenceu o gato a fazerem uma viagem,
por mares nunca navegados.
A meio deu-lhes a fome,
a ratinha mais esperta, começou 
a roer o barco, e, por causa disso, naufragou.
Nadaram até uma ilha deserta.
O gato não aguentou mais e disse:
– Vou comer-te.
– Está bem, vou só lavar-me.
Ficou a vê-la afastar-se nadando.
QUE MAIS PODERIA ESPERAR DE UMA SEXTA-FEIRA 13?
ERA BARATA...!
Natalina Marques, 57 anos, Palmela

Monte alegre 
Treze baratas foram sexta-feira, dia treze “curtir” dia das bruxas para Montalegre. Saíram voando nas suas treze vassouras. Alugaram treze canos do castelo para dormirem em treze húmidas camas. Poisaram suas treze malas, vestiram-se Bruxas, com pelos na venta, claro! À noite confundiram-se com habitantes do povoado numa folia digna de assombrar. Dançaram… beberam a tradicional queimada benzida pelo padre António Fontes. Uma delas bebeu até cair. Que mais poderia esperar de uma sexta-feira 13? Era barata...!
Eurídice Rocha, 50 anos, Coimbra

Hoje, se pudesse, ficaria em casa. É sexta-feira 13, sou supersticiosa, mas tenho de comprar algo elegante para usar no casamento da Joana, pois sou a sua madrinha.
Ela tem de sentir orgulho da melhor amiga!
Depois de procurar em imensas lojas, encontrei uma blusa e saia muito bonitas e não foram nada caras... tive sorte!
Na igreja, a saia prendeu-se na porta e desfez-se completamente. Que vergonha!
Que poderia esperar de uma sexta-feira 13? Era barata!
Susana Sofia Miranda Santos, 38 anos, Porto


SEXTA-FEIRA 13
Sexta-feira saí de minha casa. Dia belo, repleto sol! Caminhava na rua, contemplei gato preto… dia treze… prossegui itinerário… tempo depois, céu com bastantes nuvens… continuei feliz. Dia igual aos outros. De repente, chuva deveras intensa, encharcou-me da cabeça aos pés. Sorte - estabelecimento de chapéus. Chapéu ficou barato. Chovia. Chapéu estraçalhou-se. Nem acreditava no dia 13, nem nos gatos pretos. Pensava que era uma lenda. Estava enganado.
Que mais poderia esperar de uma sexta-feira 13? Era barata...!
Sérgio Felício, 37 anos, Coimbra

Sem comentários:

Enviar um comentário