23 julho 2018

Helder Bernardo ― desafio 114


Paulina jamais pensara que Humberto era um entusiasta da caixa de Pandora. Imaginava-o promotor da Esperança. Um turbilhão de afetos preencheu-lhe a alma. Paulina olhava Humberto com ingenuidade, achando-o encantador. Como se enganava!
A distância entre ambos revelou-se em silêncio, mas com clareza.
Humberto mergulhava em estudos científicos. Paulina acreditava na humildade de corações transparentes.
Tal como estudantes de medicina, Humberto criava e analisava corações apaixonados, teorizando-os. Quanta crueldade!
Paulina repetia: amor com dor é sempre destruidor.
Helder Bernardo, 57 anos, Sines  
Desafio nº 114 ― trocar as voltas ao ditado popular

Sem comentários:

Enviar um comentário