10/02/19

EXEMPLOS - desafio nº 163


Complexo
Desproporcionadamente ele vivia reclamando pela vida: para uns tanto, aos outros nadica, pensava.
Não gostava nem um pouco do tamanho de suas pernas, entretanto, admirava muito as dos irmãos, bem maiores e bem proporcionais. As suas lhe pareciam horrorosas, como as de um velho porco.
Isso lhe causava grandes tristezas e complexos incríveis, grandes, invencíveis danos.
Assim, sonhava com pernas grandes. Seria isso coisa de sua mente?
Aí estava algo a tentar mudar, melhorar nesse próximo trimestre.
Chica, 70 anos Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil

Foi DESPROPOSITADAMENTE que se esqueceu da data de aniversário.
Para ele não era IMPORTANTE. Naquele dia havia dérbi, não podia faltar ao DESPORTO favorito.
PENSARIA numa MENTIRA inofensiva. Enviou-lhe uma mensagem dizendo que sairia mais tarde do escritório.
Assistiu ao jogo, comprou na florista situada em frente ao estádio, um ramo de rosas.
Nessa noite dormiu no sofá, viu-o na televisão aplaudindo o jogo.
― Desculpa, não foi de PROPÓSITO...
Nem as juras de amor ETERNO lhe valeram.
Natalina Marques, 59 anos, Palmela
Desafio nº 163 ― palavra grande gera mais 6

A idade actual do Pedro é vinte cinco anos. Assim, parece linear concluir que, quando ele era jovem, não frequentou a mocidade portuguesa. O pai tem cinquenta anos que é um múltiplo de vinte cinco. Este conceito aprendeu o Pedro na disciplina de matemática. O Pedro não gostava desta matéria. A caridade da professora é que lhe valeu dez valores na multidisciplinaridade de matérias que ele aprendeu. Ele sempre quis seguir Direito. Era a carreira dos homens da família.
Carlos Rodrigues, 59 anos, Lisboa

FOTOCROMOMETALOGRÁFICO 
Este ano Roma estava na sua rota de férias. Como meta seguinte faria de carro toda a orla junto ao mar, pois o clima assim ditava. Em total ociosidade haveria de fotografar toda a costa amalfitana que dizem de tão bela, ser de tirar o ar. Pizzas haveria de comer muitas, pois adora. Como viajante solitário, quem sabe encontrar o amor de sua vida. Se tal acontecesse, seria um passeio que ficaria para sempre na sua memória.
Graça Pinto, 60 anos, Almada

Em palavras comuns
Quando examinara as chapas MICRORRADIOGRAFIAS e depois a amostra pulmonar do VULCANOLOGISTA no MICROSCÓPIO,  o médico dirigiu-se ao paciente para o informar conforme o TRÂMITE oficial que ele sofria de  PNEUMOULTRAMICROSCOPICOSSILICOVULCANOCONIÓTICA. Sem gaguejos, mas esbaforido pela denominação ULTRA longa dessa afeção, o doutor continuava a conversa em palavras mais comuns: Os seus  pulmões estavam contaminados com pó de SÍLICA e por enquanto você terá de acabar com escalar VULCÕES principalmente aqueles PICOS CÓNICOS com muitas atividades VULCÂNICAS.
Theo De Bakkere, 66 anos, Antuérpia, Bélgica

O homem deu um pontapé na batata, à sua frente.
O Romeu ficou triste e enterrou a batata na terra. Pegou na mangueira, abriu a torneira e começou a regar o pequeno jardim. Depois virou a mangueira para o chefe e este ficou encharcado.
3º/4º GA B, EB Galveias, professora Carmo Silva

Filipe sente que não está bem. Ao afirmar não ser repentino, mente. "É um dia igual a tantos outros", afirma ele ao pensar. Mas não se conforma com este auto-conforto. Continuará a tentar. Até é verdade, o Filipe, apesar de teimoso é veemente. Esta inquietação de alma não passa de uma parvoíce, verá. Este rapaz apenas terá de esperar e, por vezes desesperar, perseverantemente. Mas "o esforço compensa sempre" - afirma quem lhe passa rente. Talvez tenha razão...
Francisca Reis, 18 anos, Cantanhede

Comercialmente analisando, o negócio parecia bem delineado, rigorosamente calculado, projeto mental sem erro nem defeito, com belas refeições de comer e chorar por mais e ambiente agradável. Em clima temperado, no local ideal, bem organizada, era casa comercial para dar certo, conveniente a alguém como ele, comerciante honesto e pouco dado a aventuras fantasiosas. Deitou-se calmamente e rezou, rogando ao Senhor que o protegesse. Homem clemente, cumpridor, Deus nunca lhe faltara. Adormeceu na hora e sonhou confiante.
Natércia Tomás, 65 anos, Caldas da Rainha

Pneumoultramicroscopicossilicovulcanoconiose.
Nome indecifrável, doença dilacerante, que lhe devora os pulmões.
Maldita sílica!
Horácio, olhar perdido, fotos espalhadas, remexia nos vinte anos de mineração.
Chile. Muito para lá das fronteiras da sua pequenez, foi aventura de vida.
A esperança de cura obrigou-o a deixar Martina para trás. Nas noites em que a tosse o deixa repousar, ainda sonha com ela.
Chora baixinho, mas ainda acredita. Um dia voltará a Villarrica e ela, esquecida dos anos, correrá a abraçá-lo!
Paula Castanheira, 54 anos, Massamá

Chegara a hora da desinstitucionalização.
Naquela tarde amena de Março pairava no ar uma distinta brisa, carregada de esperança para o jovem Alfredo.
Alfredo instalou um enorme sorriso e saiu pelo portão do «Refúgio ​Nacional da Ajuda». Levava consigo confiança e respeito que haviam sido incutidos carinhosamente pelos seus mentores.
Deixaria saudades, mas, prometera ser assíduo com as suas visitas. Jamais esqueceria aquele maravilhoso lugar. Instituição que o moldara assertivamente para ser um exímio membro da sociedade.
Celeste Silva, 55 anos, Gondomar

Justiça
No tribunal a audiência completa foi antecipada pelo juiz.
A frustração e descontentamento foi comentada por procuradores, advogados.
O júri ficou contente com a mudança, elemento surpresa injusto.
Sonharam com um julgamento justo, insuspeito, sem mentiras nem proibições.
Suspeitas habituais, homicídios negligentes, com ou sem dolo complementam as provas.
Quais os motivos do adolescente?
idade tem relevância para o caso?
As testemunhas abonatórias enalteceram o seu comportamento até esse dia fatídico.
Motociclista inconsciente ou motoqueiro agressivo?
Cristina Lameiras, 53 anos, Casal Cambra   

Viver na cidade
Desproporcionalidade. Era assim que ela via o viver na cidade.
As pessoas, na sua maioria, viviam num corropio 
diário, madrugando para conseguir pagar as contas. Nem podiam propor comprar algo desnecessário pois sabiam que juntamente à alegria momentaneamente proporcionada vinham outras preocupações. Mas havia quem não hesitasse em se despedir de alguns euros, a quantidade dependia da personalidade de cada um. Muitas vezes pensava se ganhasse um bom ordenado se ela também viveria assim, de forma despreocupada. 
Carla Silva, 45 anos, Barbacena, Elvas

Sem comentários:

Enviar um comentário