11 maio 2014

Palavras atrapalhadas

Era um dia solarengo, o calor banhava-me a face e a brisa marítima percorria os meus pulmões sedentos do cheiro primaveril. Descrever os pensamentos que ocupavam o meu cérebro tornou-se uma tarefa árdua. As palavras atrapalharam-se dentro de mim, elas tornaram-se por alguns momentos, insignificantes. Nenhum som foi pronunciado durante longos minutos, neste momento nada mais importava. Durante este longo inverno refugiei-me da chuva enrolada nos cobertores e sonhava-me banhada pelo sol tímido e pela brisa perfumada.

Isabel Pinela, 41 anos, Amadora

Desafio RS nº 13 – … palavras atrapalharam-se dentro…

Sem comentários:

Enviar um comentário