01/07/22

Maria Manuel Casal Ribeiro – desafio 276

Um espaço lúdico era o campo, um terreiro, a árvore, a praia, o pinhal, a rua em frente à casa. Cair, chorar, levantar e gritos da janela: - Vem lavar-te! Para a mesa não tarda! Entre risos e gritos, crianças vigiavam-se entre si, num comportamento pueril que desenvolvia aptidões para a vida. O risco era variável. O sistema de posicionamento global não os seguia, o telemóvel não contava passos. Mas davam com certeza mais de dez mil. 

Maria Manuel Casal Ribeiro, 63 anos, Parede

276 – A ginástica comportamental das crianças

Soraia Gonçalves – desafio RS 8

A escola estava prestes a terminar eu estava em êxtase faltava apenas um dia, a professora já nos avisara para levar para casa todo o material, livros, cadernos e trabalhos feitos ao longo do ano.

Estava triste porque ia deixar de ver algumas das minhas amigas, mas finalmente de me livrar daquele cacifo com um cheiro a humidade, era horrível insuportável, entranhava-se em mim nas minhas roupas, espero que para o ano não me calhe este novamente.

Soraia Gonçalves, 31 anos, Lisboa

RS8 – juntar cacifo, cheiro a humidade e êxtase

365 - desafio IG - mês de julho de 2022


Já começou!
Um desafio por dia, nem sabem o bem que vos faria!

Vamos rever 365 desafios com um desafio diário no Instagram - quem se junta a nós?

Re-Word-It (@rewordit_) • fotos e vídeos do Instagram - Deixem o texto nos comentários.

30/06/22

Glória Silva – desafio 34

Estava a passar numa esquina quando tudo acontece. Olhei por cima do ombro e vi um homem a ralhar com uma mulher. Proferia frases muito ofensivas.  Tentei consolar e aconselhar a mulher que estava muito desorientada. No entanto, connosco estava uma criança a chorar que só veio atrapalhar o acontecimento. Procurar sítios para proteger a criança não foi uma tarefa simples. No entanto, nestas situações, temos de ser pacientes, contar o sucedido à polícia e tentar esquecer.

Glória Silva, 54 anos, Lisboa

34 – grelha de 16 palavras obrigatórias

Glória Silva – desafio 18

Um homem sentado no banco do jardim. Tinha um casaco vestido, manchado de suor e muito rasgado, umas calças velhas e sapatos gastos pelo tempo.  Devia ter cerca de 80 anos. Muito magro, cabisbaixo e com um olhar muito triste. Uma criança aproximou-se e deu-lhe um beijo.

O homem sorriu, os olhos brilharam!

Com alegria tirou do bolso das calças uma caixa e ofereceu-a à criança. A caixa continha variados doces.

A criança sorriu, os olhos brilharam!

Glória Silva, 54 anos, Lisboa

18 – palavras proibidas: não que mas pois como verbos: estar + ser

Glória Silva – desafio 232

LER aquele livro não ia ser fácil. Quatro mil páginas e uma letra muito pequena para a minha miopia. Mesmo assim, comecei a LER. Estava no sofá a LER o meu livro, quando sou interrompida pelo meu marido a LER uma notícia no jornal. 

Gritei:

Não podes LER em voz alta porque eu estou a LER! Sabes que para mim é muito importante estar concentrada para LER. Se queres LER em voz alta vai para outro local.

Glória Silva, 54 anos, Lisboa

232 – 8 vezes LER

24/06/22

365 desafios! Temos de celebrar

Ao longo de 11 anos, juntámos 365 desafios em 77 palavras
Agora deixamos o convite:
juntem-se a nós e desafiem-se a escrever em 77 palavras durante 365 dias. 

Todos os dias deixaremos um novo desafio no IG e no FB do @rewordit_

Deixem os vossos textos nos comentários de cada desafio. 
Boas escritas!

Maria Tiago – desafio 276

Acordei logo de manhãzinha com uma ajudinha da minha mãe, sempre na rotina. Tive de deixar os meus irmãos na escola deles, agora era a minha vez de ir para a escolinha. Com curvas, subidas e descidas chegámos lá. Uma das coisas que gostava era de vigiar a ginástica comportamental das crianças, mas sempre reparava que, quando ia brincar com elas, ficavam muito mais animadas. Brincávamos sempre a uma coisa nova, mas sempre de sorriso no coração.

Maria Tiago, 13 anos, 7º ano, Coimbra

276 – A ginástica comportamental das crianças

Sobral Ramos – desafio 276

Quando se sentiam sozinhos choravam e o colo procuravam. Quando estavam em apuros, um nó na corda de saltar, um sapato com os atacadores enrolados, aí, quase sempre procuravam ajuda. Quando estavam felizes pulavam, sorriam, gritavam de felicidade! Estes eram os comportamentos mais gerais, mas havia sempre aqueles que fugiam aos padrões ditos normais. Esses eram o meu desafio. Chegar até eles, entender a sua própria ginástica comportamental, respeitando e esperando que algum dia me viessem abraçar.

Sobral Ramos, 44 anos, Coimbra

276 – A ginástica comportamental das crianças

João Lagoa – desafio 276

A criança é o pai do homem, paradoxo duro de ver com-porta-mental fechada. Cresce e aparece, homem se és criança, dança, salta, voa, nada no mundo é teu quando inocente és tudo. Vi-te e conheci-me, pulavas-me tão livre, deitado no divã, seguravas-me às grades do berço, fazias caretas descomplexadas ao Dr. Freud, sentado um tanto esfíngico, um tonto minotáurico, a questionar-me com um mudo olhar, o ser ou não ser a líbido do filho gerar o pai. 

João Lagoa, 59 anos, Lagoa, Algarve

276 – A ginástica comportamental das crianças

23/06/22

Célia Trindade – desafio 276

No último dia de aulas a professora fez uma festa com jogos tradicionais.

No mundo das novas tecnologias os alunos nunca tinham ouvido falar!

Os sorrisos das crianças eram contagiantes, e com estes jogos a professora queria ensinar de uma forma lúdica e divertida, a partilha e igualdade e pôr a criatividade e as capacidades de raciocínio e motora em prática.

No final, estavam exaustos mas felizes e a brincar tinham aprendido a cumprir regras e aceitar derrotas e vitórias!

Célia Trindade, 47 anos, Mem Martins, Sintra

276 – A ginástica comportamental das crianças

Carla Silva – desafio 263

Reflexos
Kiko olhava demoradamente a sua sombra no chão. Havia dias em que este parecia disforme e algo assustador. Outros, era alto e esbelto como um modelo. E existia dias em que a luz batia de certa maneira que achava que era um super herói. E nesses poucos dias, quando adormecia, sonhava que saltava de telhado em telhado viajando sempre atento a qualquer pedido de ajuda, nesses dias ao acordar sentia-se especial. Como todos nos deveríamos sentir.

Carla Silva, 48 anos, Barbacena Elvas

Desafio nº 263 – imagem de Isabel Peixeiro

22/06/22

Natalina Marques – desafio 276

Naquela terra desconhecida,

que nada lhe dizia,

trocaram-lhe as voltas da vida

criança, que era ainda.

Queria ter novos amigos,

mas os sorrisos

e palavras amargas

não lhe davam confiança

porque era desengraçada.

Isso roubava-lhe a esperança

de um dia ser amada.

Só queria ser aceite

nas brincadeiras normais

compensando o deleite

na falta dos seus pais.

Hoje lembra, não com saudade

que tudo valeu a pena

pois daí, a força de ser mulher

orgulhosa e determinada.

Natalina Marques, 63 anos, Palmela

276 – A ginástica comportamental das crianças

Verena Niederberger – desafio 276

Irmã Popola, freira já de meia idade.

Responsável por vigiar ginástica comportamental das crianças, 

No colégio Montanha onde era a diretora.

Deuzivaldo, aluno que de Deus nada tinha

Aproveitou o recreio para explorar o pomar da escola.

Debaixo de frondosa jabuticabeira degustou as deliciosas frutinhas.

Adormeceu e acordou com a voz estridente de Irmã Popola.

O menino foi levado para a diretoria.

Além do castigo, ainda, teve que amargar terrível dor de barriga.

Tiro saiu pela culatra...

Verena Niederberger, 71 anos, Rio de Janeiro, Brasil

276 – A ginástica comportamental das crianças

20/06/22

Maria Tiago – desafio 275

Expectante com o que eu tinha de fazer. Enfrentar os meus medos. A insegurança é uma das coisas mais desafiantes da vida. Muitas dessas inseguranças foram causadas pelo telemóvel, pela internet, por tudo o que acreditamos que é um padrão de beleza ou outras coisas além do que imaginamos. Ser pateta é normal, como sempre, mas não me devo sentir inquietante e sentir-me doente por uma só palavra. Segue a tua voz, não a voz do outro. 

Maria Tiago, 13 anos, 7º ano, Coimbra

275 – sílaba TE em 5 posições

Sobral Ramos – desafio 275

O Sol de poente aqueceu-lhe o olhar. Já pouco restava da tarde quente, quando percebeu que a queria profundamente e tinha de lutar! Ficou expectante, à janela, aguardando pela sua passagem, ou pelo cheiro do perfume, embrulhado na aragem. Nada. Nem a sua sombra pintando o chão, nem a gargalhada aguda que se ouvia. Era das aves mais belas, mais estridentes, mais coloridas. Era quem partia agora para sul e partia-lhe o coração. Pode ser que telefone… 

Sobral Ramos, 44 anos, Coimbra

275 – sílaba TE em 5 posições

Rosélia Bezerra – desafio 276

Meninos brincavam na lagoa, chegaram duas meninas.

Um deles impediu que Luana se juntasse à brincadeira.

Rafael, muito extrovertido, logo chamou-a animadamente a espiar peixinhos a nadarem.

Uma mulher, limpando o terreiro próximo a lagoa percebeu como foi difícil para Rodrigo aceitar a cordialidade do Rafael. Ficou calado, fez manha, embirrando, se fazendo de rogado, tentando dificultar a aproximação.

A turminha insistiu, não teve jeito, ele isolou-se ao fortuito grupo. Coitado! Ficou só num egoísmo irracional.

Rosélia Bezerra, 66 anos, ES, Brasil

276 – A ginástica comportamental das crianças

Maria Tiago – desafio 274

De África até Portugal, africana ou portuguesa, nunca houve diferença. Mas percebe-se que tenho de conferir o inevitável, confrontar o meu passado e descobrir se sou mesmo o que eu penso ser… Sempre a andar pelo mundo em busca de respostas, de Portugal a Espanha, por fim, o sítio que eu queria muito visitar, França. Na magnífica França conheci então Francisco, um empregado de mesa frenético que tinha a mesma referência que eu, saber sempre a verdade. 

Maria Tiago, 13 anos, 7º ano, Coimbra

274 – 7 palavras com CFRN

Chica – desafio 276

Eram outros tempos, num antigo colégio alemão. Rosa tímida, carinha de anjo, mas endiabrada sempre que podia.

Durante as aulas quietinha, prestava atenção às lições, cumpria os deveres, mas era quase apática.

Esperava a campainha que indicava o início do recreio. Então ela saltava feliz, corria escadarias abaixo e lá corria com as amigas, pulava amarelinha, jogava ping-pong.

Era alegria pura... 

Mas durava pouco o recreio. 

Hoje agradece às brincadeiras e correrias, sua elasticidade ainda existente hoje!

Chica, 70 anos Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil 

Publicado aqui: ♥ Chica brinca de poesia ?♥: ♥ Nos recreios da vida...♥

276 – A ginástica comportamental das crianças

Sobral Ramos – desafio 274

Tinha alma africana. Não de sangue, mas de vida. Conferir se estava tudo e fugir. Depois do confronto uma parte morreu. Trancar a porta, casa recheada, mas nunca mais ocupada. Largar assim a terra vermelha, quente e quase mágica. Deixá-la de forma tão trágica... Regressar e refazer. Conheceu um francês e foi um au revoir ao sonho de regressar. Nasceu Francisco, sorridente, frenético. A referência à terra, o calor a pulsar no sangue. Regressar no seu olhar. 

Sobral Ramos, 44 anos, Coimbra

274 – 7 palavras com CFRN