22/09/20

Fernanda Malhão – desafio 127

O mistério caçador de pérolas

Era mestre em encontrar ostras com magníficas pérolas no seu anterior. Não as mostra a ninguém! Tinha uma sala de aceso restrito, onde passava tempos infinitos a dar lustre às suas pérolas. Só fazia demonstração das pérolas à clientes muito selecionados. Um dia, algo sinistro aconteceu, ouviu-se um grande estrondo, o chão estremeceu, um cheio nauseabundo alastrou pela casa. Senti o suco gástrico subir à boca antes de desmaiar. Fomos todos transferidos para o hospital do distrito!

Fernanda Malhão, 44 anos, Gondomar

Desafio nº 127 – stra, stre, stri e stro x 3

Elsa Alves – desafio 101

– Tatá, pressinto que a menina vai adorar aquele restaurantezinho...

– O que fica junto à ponte?

– Exacto. Não resisto... digo-lhe que a especialidade da casa é...

– Robalo?!?

– Adivinhou, queriducha... Com o seu acompanhamento preferido...

– Puré de batata?!?

– Exacto. Vá, docinho, troque essa bata cheia de pó por uma roupinha toda sexy...  Vamos? 

– Robalo com puré de batata... E um copo de vinho tinto...

– Tatá, tenha tino!!! Com o peixe, vinho branco!!!

A Tatá não percebia nada de vinhos...

Elsa Alves,7 2 anos, Vila Franca de Xira

Desafio nº 101 ― partindo das palavras BATATA e PRESSINTO

Vanda Figueira – desafio 220

Gostava que me levasses aonde fores. Não precisas de me levar atrás de ti para todo o lado. Não quero ser esse tipo de mãe galinha. Só gostava que me levasses no coração e que quando te encontrares em horas de aperto ou de reflexão e queiras um conselho amigo, uma palavra de consolo ou opinião me encontres lá dentro do teu coração. Meu filho,gostava que me levasses contigo no teu coração e nas tuas asas.

Vanda Figueira, 46 anos, São João da Talha

Desafio nº 220 – gostava que me levasses

Mónica Santos – desafio 220

Bom dia! Abriram-se as portas e estás cá de novo.
Esse olhar melancólico, hesitante. Porque negas a tua vontade?
Gostava que me levasses.
Sei que me imaginas ao teu lado quando escurece. Faço o teu género, encaixo no teu estilo. Gostava que me levasses. Passeias-te pelos corredores, ofegante, enfias as mãos nos bolsos e sais para almoço. Regressas. Devoras-me com os olhos mas não avanças. Porquê? Gostava que me levasses. É hoje! “Candeeiro em promoção só €70.”

Mónica Santos, 43 anos, Matosinhos

Desafio nº 220 – gostava que me levasses

Ana – desafio 220

O teu mundo

Gostava que me levasses contigo, para aquele lugar onde os sorrisos e as lágrimas são verdadeiros. 

Gostava que me levasses contigo, para aquele lugar onde o sonho nos comanda, a alegria, o amor e a confiança imperam. Onde não há pessoas zangadas e tudo se resolve com um beijo. 

Gostava que me levasses contigo, nem que fosse por um só dia, para onde existem as fadas dos dentes e das chupetas, o Pai Natal e os duendes.

Ana, 41 anos, Mealhada 

Desafio nº 220 – gostava que me levasses

Natalina Marques – desafio 220

Gostava que me levasses 

novamente ao nosso lugar

ver as estrelas no céu,

apanhar conchas à beira mar.

 

Lembro tanto, aquela tarde

em que subimos ao monte

e um beijo me roubaste

ao beber água na fonte.

 

Gostava que me levasses 

de novo àquele jardim,

de mãos dadas passear

e ter-te junto de mim.

 

Gostava que me levasses 

e dançasses para mim.

Ouço teus passos chegar,

o meu sonho, chega ao fim,

mas, GOSTAVA QUE ME LEVASSES.

Natalina Marques, 61 anos, Palmela

Desafio nº 220 – gostava que me levasses

21/09/20

Fernanda Malhão – desafio 126

Criança intermitente

Tinha apenas 7 anos e vivia em guarda partilhada. Não se importava em viver uma semana em cada casa, o que o incomodava era ter de lidar com as desavenças dos pais. Quando estava com a mãe ouvia queixas acerca das más influências do pai, e que se refletiam no seu comportamento. Quando estava com o pai, ele estava sempre a contrariar aquilo que a mãe o mandara fazer. Sentia-se intermitente com aquelas mudanças de comportamento repentinas!

Fernanda Malhão, 44 anos, Gondomar

Desafio nº 126 – sentia-se intermitente

Toninho – desafio 220

Vejo campos de girassóis, onde vibrei, com teus olhos brilhantes. Gostavas que me levasses a reviver a primavera pelas terras lusitanas inesquecíveis momentos poéticos.

Ainda vejo campos floridos, pássaros em cantoria pelo amanhecer. Gostavas que me levasses a ver o dourar da tarde junto ao Tejo, ouvindo o vento como um fado, olhos amarelados encantados à procura dos teus

Gostavas que me levasses no último olhar às serras e de mãos dadas trocaríamos o céu. É isso.

Toninho, 64 anos, Salvador-Bahia-Brasil

Desafio nº 220 – gostava que me levasses

Publicado aqui: Desafio 77 palavras_mineirinho


Elsa Alves – desafio 100

Acasos

Conheceram-se por um acaso, daqueles que julgamos que só acontecem nos livros e, afinal, não é nada assim. Acontecem no dia-a-dia e com frequência. Tinham ido os dois à biblioteca, requisitar o mesmo livro: 

“Inversos", a poesia completa da Ana Luísa Amaral. Os dois rendidos à mesma poeta. Trocaram opiniões sobre poesia. Concordaram. Discordaram. Riram. Nenhum levou o livro. Continuaram a encontrar-se. Na biblioteca, e fora dela, no café, no cinema. E foi assim que se escreveram...

Elsa Alves, 72 anos, Vila Franca de Xira

Desafio nº 100 – «e foi por isso que me escrevi»

Maria João Cortês – desafio 216

Vila Facaia era uma aldeia simples, mas muito acolhedora.

Aida, apesar de citadina gostava de lá estar, pois nascera numa pequena casa caiada de branco que pertencera à família, que fazia a sua vaidade

Mal abria a janela o cheiro acre da humidade da noite, entrava pela casa dentro e o chilrear acompanhado do bailado dos pássaros, punha-a na maior das felicidades.

Aquele pão com sabor a fermento era coisa inesquecível.

Enfim, era feliz em Vila Facaia.

Maria João Cortês, 77 anos, Lisboa

Desafio nº 206 – 7 plvras com ditongo «ai»

Verena Niederberger – desafio 220

Gostava que me levasses, novamente, para passear no seu fusquinha azul.

Tantos momentos felizes passamos quando viajávamos, juntinhos, para junto do mar.

Praias calmas perfeitas para relaxar.

Gostava que me levasses para degustar deliciosa pizza ao som "daquela" música de Chico Buarque que tanto nos marcou.

Gostava que me levasses para o baile de carnaval, no clube, onde nos divertíamos até o dia clarear.

Gostava que me levasses para aquele mundo de sonhos que, infelizmente, distante ficou.

Verena Niederberger, 69 anos, Rio de Janeiro - Brasil

Desafio nº 220 – gostava que me levasses

Publicado aqui:  https://interagindocomosbichinhos.blogspot.com/2020/09/historias-em-77-palavras.html


Violeta Seixas – desafio 219

Desfeito

Descontente, decido, afinal, que desfaço o leito. Ele, sentimental, de rastos e coração desfeito; eu a achar que estava demasiado perfeito. Determinada, às cegas, corto tudo a eito. Já está! Mas suspeito que sem proveito. Nesta nova visita, risco, arrisco, procuro-me, enfeito mil alternativas. Aqui o ar é rarefeito: que tontura! Não importa se há defeito. Sem receio e com todo o respeito pelas palavras escritas acima, rejeito o conceito: cabia-me refazer e encontrar o (texto) eleito.

Violeta Seixas, 54 anos, Algés

Desafio nº 219 – terminações eito, onta, ite

Violeta Seixas – desafio 219

Aceito

Que dificuldade tenho em chegar ao parapeito! Agora, estendo-me, estico-me para alcançar o sujeito. Achava eu que seria dito e feito, bastaria para isso assobiar, assobiar a preceito, sem pensar que é necessário o jeito. Podia ter imaginado alguém com certo trejeito. Desenhar-lhe uma vida de dores no peito, sem maisArrasto-me, penso que sem defeito, por essa página solta onde me deito. Onde julgava ser o meu leito perfeito. Mas é apenas isto, quando me espreito…

Violeta Seixas, 54 anos, Algés

Desafio nº 219 – terminações

20/09/20

Glória Vilbro – desafio 220

Gostava que me levasses pela mão... 
Tenho fome do mar ao fundo das ruas. 
Sede do sol de então, das conversas à toa. 
Lembro os policias e ladrões, detectives e espiões... 
Mulheres perdidas, fantasmas adivinhados. 

Gostava que me levasses ao Jardim mais bonito da cidade... 

E me ensinasses ciências, e as palavras francesas que sabias. 
Abrisses o pacote das batatas fritas... 

Gostava que me levasses contigo outra vez... 
Me deixasses chorar...
Eu sem medo de ser mariquinhas. 

Glória Vilbro, 53 anos, Negrais, Almargem do Bispo, Sintra

Desafio nº 220 – gostava que me levasses

Chica – desafio 220

Gostava que me levasses novamente para aquele lugarzinho tão lindo onde tanta coisa boa vivemos. 

Lembras dele? 

Gostava que me levasses para tudo aquilo, novamente pudéssemos desfrutar, mas com todo aquele cenário igualzinho, irretocável e maravilhoso naquela pequena praia quase só nossa.

Risadas, chorinhos, reclamações, broncas por vezes necessárias, mas a alegria e grande amor sempre. 

Gostava que me levasses lá, mas envelhecemos, eles cresceram, até o hotelzinho fechou... 

Só nossa recordação pode nos levar até lá!

Chica, 70 anos Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil 

Publicado aqui: https://chicabrincadepoesia.blogspot.com/2020/09/saudades.html

Desafio nº 220 – gostava que me levasses

Rosélia Bezerra – desafio 220

Pelos jardins da vida, gostava que me levasses como se fosse uma delicada flor do campo.

A cada manhã, me levantas com suavidade de beija-flor, vindo ao meu encontro, com asas de amor que me despertam do nosso ninho que me preparas a cada anoitecer.

Entretanto, gostava que me levasses por todas as horas, sem nenhuma interrupção indispensável a ti.

Por toda eternidade, gostava que me levasses, enfim, meu amor!

Certamente te faria alçar voos altaneiros, alegres.

Rosélia Bezerra, 65 anos, ES, Brasil

Desafio nº 220 – gostava que me levasses

Publicada aqui: https://espiritual-amizade.blogspot.com/2020/09/alcar-voos-altaneiros.html

Maria João Cortês – desafio 202

ONTEM, o sol brilhou a todas as horas.

ONTEM, era uma menina despreocupada, que não pensava que

ONTEM haverá um dia de amanhã.

Um dia que não será igual ao de ONTEM.

Um dia que poderá haver chuvas e trovoadas.

Que os dias de ONTEM teriam misérias e desgraças,

E que ela nada poderia fazer para o evitar.

ONTEM fora um dia maravilhoso que não vai voltar mais.

Já houve ONTEM, hoje e espera-se que um amanhã.

Maria João Cortês, 77 anos, Lisboa

Desafio nº 202 ― 7 vezes a palavra ONTEM

Desafio nº 220

Neste nosso desafio, existe uma regra: repetir 

Gostava que me levasses

Pelo menos 3 vezes.

A frase pode ser adaptada.

 

Experimentei e saiu assim:

Gostava que me levasses lá…

Ao lugar onde as estrelas cintilam nos olhos felizes,

Os gritos são de recreio

e os dias correm para a noite como a água para o mar.

Gostava que me levasses lá,

Ao sonho que gastei de tanto o usar,

Sem medo de sorrir ou chorar.

E conversar, de mansinho, entrelaçando os meus nos teus dedos.

Por fim, encostar-me no teu abraço.

Gostava tanto que me levasses…

Mas parti sem lá chegar.

Rosário P. Ribeiro, 63 anos, Lisboa

Desafio nº 220 – gostava que me levasses

19/09/20

Helena Rosinha – desafio 218

Chamas

Na lenha que arde, na dança das chamas, acendem-se as lembranças. 

Serões familiares, os adultos à conversa e nós, sorrateiramente, a sair pela porta da cozinha, a saltar a cancela do quintal.  Imersos no cheiro da noite, enfrentávamos sombras gigantes, sons estranhos, tentávamos dissimular o medo. Na busca de aventuras e mistérios insolúveis, descobríamo-nos mutuamente, surpreendíamos, éramos surpreendidos. 

Ateada a chama da liberdade, extinguiam-se impossíveis; desafiavam-se costumes, acumulavam-se certezas — o nosso, seria um mundo perfeito. 

Algo falhou. 

Helena Rosinha, 67 anos, Vila Franca de Xira

Desafio nº 218 – imagem de fósforos

Elsa Alves – desafio 99

Que cena!!!

Deu-se este atroz acidente às quatro da tarde. Fiquei tão atrofiado que já nem fui ao teatro. Passou-se o seguinte: a empregada da Pastelaria Bélita, matrona gorducha, de trato difícil, atropelou, sem dó nem piedade, a dona Felícia, sua patroa. Senhora que eu idolatro... Enfim, atropelou-a, em sentido figurado: caiu-lhe em cima, quando escorregou num pastel-de-nata que estava esborrachado no chão. Esborrachada ficou a dona Felícia! Que atrocidade!!! Vejam no Facebook o vídeo de toda a cena!!!

Elsa Alves, 72 anos, Vila Franca de Xira

Desafio nº 99 – 8 a 10 palavras com ATRO