30 julho 2015

A blefarite de Betunila

É um desafio brutal. Sem bitola mas tabelado. Uma ideia brilhante, diga-se. A aceitabilidade é absoluta. Entra quem tem bilhete para o desafio. É emblemático. Vamos ao estabelecido: Betunila era minha amiga. Vivia cercada de tabloides. Uma blefarite impediu-a de publicitar os dotes. Seria substituível? Encontrei-a na biblioteca. De botelha na mão, tresandando àquele cheiro butílico, fez-me uma subtil proposta. Contrariando um intolerante bolchevista, concedi-lhe o absolvimento. A bestialidade da proposta era a voz do vinho. Certamente…

Amélia Meireles, 62 anos, Ponta Delgada

Desafio nº 95 – o máximo de palavras com BTL

Sem comentários:

Enviar um comentário