29 julho 2015

Perspectivas

Raramente temos a ilusão que a vida não nos atropela sem piedade. Não apenas a nossa, mas as dos que amamos. Com a intensidade de um clarão, fundem-se numa tapeçaria que Penélope invejaria. Um emaranhado de fios de muitas cores que se tecem com raciocínios e emoções e que por isso mesmo ora se estranham, ora se entranham. Estou certa, todavia, que a vida não será nunca uma porta que bate, mas sim a janela que abre.

Sandra Évora, 40 anos, Sto. António dos Cavaleiros 

Desafio nº 94com clarão, porta a bater e ilusão

Sem comentários:

Enviar um comentário