10 março 2016

Amar

Ainda tentei escrever-te magníficos poemas. O surreal. A tensão
emotiva misturou-se por ocultos segredos.
Apaguei temores e memórias, palavras omitidas. Sem apegos.

Tentei escrever-te, mas perdi-me onde sussurravam amarguras.
Tentáculos empedernidos manipularam-me palavras.
O sonambulismo amoroso, todavia, entorpeceu-nos; mas podemos ousar! Se
ainda tentarmos enaltecer momentos perdidos ou sofregamente apagar
tempestades emocionais.
Pois o sentimento, ainda, tacitamente emerge maduro, poderoso.
Ostentando sem atrapalhação ternuras. E murmureja:
Podemos obstruir silêncios!
Aventar, tacanhices, embirrações;
Mascar palavras omnipotentes sobre Amar!

Lourença Oliveira, 44 anos, S. João do Estoril
Desafio nº 104 – letras obrigatórias: A T E M P O S


Sem comentários:

Enviar um comentário