06 setembro 2016

Escrevi por fim!

O nervosismo não arruinou as letras, minhas amigas, companheiras em noites sombrias. E expus meu semblante bravio ao mundo. Sem questionar se este me aguardava, deixei transparecer a criatividade que até então aprisionara. Ao serviço das palavras, fizeram de mim serviçal eloquente. Não me embargava a dificuldade sacrificial, o prazer de espelhar-me sobrepunha-se ao distender do pensamento.
Não me interessava fama ou o que o mundo pensasse de mim.
Amo escrever.
Escrevo porque sim!
Andrea Ramos, 39 anos, Torres Vedras

Desafio nº 100 – «e foi por isso que me escrevi»

Sem comentários:

Enviar um comentário