18 novembro 2016

Bateu com a porta

Afogada no mar de ruído colorido, um novo clarão esgotou-lhe a resistência. Desatou a correr pela multidão, em direcção ao seu bunker, abrigo único da ilusão de liberdade, da saturação das imagens, da estroboscopia do mundo. Ali o vazio ainda tinha lugar e os objectos, seleccionados cuidadosamente, guardavam os últimos elos entre o mundo sensível e a ideia de um propósito humano. Bateu com a porta, pôde finalmente respirar. Deixou-se cair. Não a veriam por muito tempo.
Tomás Anjos Barão, 21 anos, Palmela

Desafio nº 94  com clarão, porta a bater e ilusão

2 comentários:

  1. Margarida, vim deixar um beijo, no dia em que encerro o ano nos meus blogs,( vamos ter a visita do filho lá de longe e tenho muito a fazer e organizar!) desejando tudo de bom! Boas festas e até janeiro! Obrigadão pela companhia nesse ano!  chica

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até Janeiro, querida amiga! Boas Festas de família, um enorme beijinho para si

      Eliminar