25 novembro 2016

Brincar

A Inês olhava para a mãe.
O pai olhava para as duas.
A mãe, num papel, assinalava, com cores, as aulas e tarefas da Inês.
A Inês pensou que havia ali demasiado azul, mesmo sendo a sua cor preferida...
– Não gostas, Inês?
– Não sei o que é este azul, mas é muito tempo nisso...
– Inês, esse azul é um direito teu.
– Que direito?...
– O teu direito de brincar!
Então, a Inês abraçou-os e disse-lhes:
– Adoro este azul!
Paula Tomé, 44 anos, Sintra

Desafio Escritiva nº 14 – direitos da criança

Sem comentários:

Enviar um comentário