07 novembro 2016

Salva-nos!

Estava sentado na praia ouvindo o som do mar, quando uma cauda roxa de sereia emergiu do mar. Foi apenas um reflexo, mas ainda acredito que eu a vi porque com aquela cauda surgiu uma garrafa que acabou nos meus pés. 
Eu destapei a garrafa e eu tirei o papel que tinha umas palavras muito simples e poderosas:
Por favor, cidade do mar, é a nossa casa e nós não temos nenhum outro lugar para viver: Salva-nos!
Ana Belén Crespo Marcos, 19 anos, Salamanca, prof Paula Pessanha Isidoro (USAL)
Desafio Escritiva nº 11 – mensagem na garrafa

Sem comentários:

Enviar um comentário