10 julho 2017

Fernando Morgado ― desafio nº 121

Talvez não saibas que ainda te espero.
Aqui, neste banco de memória que construí contigo, neste tudo que fomos nós. Talvez não saibas, talvez não queiras.
Contudo, tu continuas a sublimar-me nos sonhos que nunca me abandonam, nos sonhos que não deixo morrer.
Fui o herói que adoraste até me encontrares em desvio. Era a mim que entregavas as tuas certezas, era a mim que entregavas o teu destino.
Morri na tua cura, renascerei no teu perdão.
Fernando Morgado, 61 anos, Porto

Desafio nº 121 – 3 inícios de frase impostos

2 comentários: