16 junho 2018

Helena Rosinha ― desafio 142


Atrás do cortinado do dormitório, Julinha cismava. Não se conformava com a miséria circundante. Liberto de amarras castradoras, o pensamento voava. Sabia que o poeta chegava do continente. Determinada, saltaria pela janela, correria Travessa fora. Encontrar-se-iam no porto, lembrá-lo-ia da promessa feita. Num golpe de rins resolveria a situação. Esquecer tudo, todos, seria uma limpeza geral.
Denso nevoeiro cobre agora Fajã do Retiro. Um navio desaparece engolido por fantasmagóricas volutas. Incrédula, sentindo-se ultrajada, Julinha expressa desesperada consternação.
Helena Rosinha, 65 anos, Vila Franca de Xira
Desafio nº 142 ― 11 palavras para frases de 7

Sem comentários:

Enviar um comentário