12/07/12

quinta cheia de meias-dúzias!


Mentira. Foi tudo mentira.
Foi mentira as promessas que fizeste.
Foi mentira o projeto que criaste.
Foi mentira as palavras açucaradas, os olhares faiscantes. Foi mentira os beijos roubados, os passeios inventados. Foi mentira o sorriso que me roubou o coração.
Ah! Mas o pior não é isso. Dei tanto de mim e agora sinto-me usado, gasto como um trapo velho sem valor nem serventia.
Em fumo se desfez a minha ilusão! Quão amarga é a mentira!
Ana Paula Oliveira

Demónios! Pequenos DemóniosDemónios na chávena de café a tomarem banho! Demónios na almofada, ressonando bem alto! Demónios nos bolsos das calças, fazendo-me cócegas e rir desalmadamente em público! Demónios em cada ombro! Demónios em cima do meu gato, qual cavalo domado e desesperado! Demónios no frigorífico com as barrigas dilatadas de tanto comer.Demónios no congelador, em poses provocantes e gestos obscenos. Demóniosem todo lado! Demónios no ecrã do multibanco a rirem do meu saldo…
Marco Carreira


Estou pensando em falar de saudade
Esse estranho sentimento
Mas não sei de qual 
saudade
Versaria nesse momento
Só sei que existe uma 
saudade
Que ficou cá dentro do meu peito
Eu estou falando da 
saudade
De um determinado sujeito 
Que se foi e deixou 
saudade
De toda nossa cumplicidade
Nunca mais veio na minha cidade
Achei isso de uma tremenda maldade
Agora vivo eu só de 
saudade
E na minha vulnerabilidade
Penso ter sido tudo falsidade
Majoli Oliveira, Brasil