19/11/12

A FUGA



A menina entrou na casa
pronta para atacar
com o mata-moscas na mão dizia:
– Desta não vão escapar!

Acordei a minha companheira,
dei-lhe com a asa na testa.
– Vamos voar para longe,
vamos fugir para a floresta!

A balofa da minha amiga
não se levantou
e com tanto sangue na barriga,
a menina a localizou.

As minhas pernas esguias,
estavam tremendo.
– Ai minha Mãe do Céu,
a morte chegou demasiado cedo!

Agarrei a minha companheira,
apressámo-nos a voar.
Atravessámos a janela,
conseguimos escapar!

Lívia Batalha e Alexandra Petran, 8º B, Escola Hermenegildo Capelo, Palmela, professora Sandra Marques

Sem comentários:

Publicar um comentário