30/04/13

Guindaste


Encontrava-me na cabina do guindaste, olhando para baixo, quando reparei em Madaleno, que, de fininho, se preparava para começar o feriado mais cedo.
O POBRE INFELIZ DESCEU UMA LADEIRA. TOLO, OU… ANTA. Não havia outra explicação. O encarregado iria chegar com o pagamento do mês, e o palerma não teria como justificar a sua ausência.
Comecei a acenar para lhe chamar a atenção e quando reparei, a obra inteira parara, e todos tentavam desvendar a minha aflição.

Quita Miguel, 53 anos, Cascais

Sem comentários:

Publicar um comentário