11/04/13

Viagem no Tempo


 
Acordou estremunhado. Sem tempo nem espaço. Sonhou, uma viagem de sonho. Tudo na vida eram sonhos menos a realidade.
Encontrava-se sobre lajes húmidas, sob o pórtico da catedral e dos cartões que de noite lhe serviam de abrigo. 
Enquanto dormia foi a Toronto.  que tonto, pensou ao despertar, olha em torno de e para ti, estás roto, despenteado.  Noto, sou um sem abrigo mas não sou vagabundo, esta fachada que me acolhe é o meu trono!

Rosélia Palminha, 65 anos, Pinhal Novo

Sem comentários:

Publicar um comentário