16/06/13

O sim que te sinto

“Sim”, e a aliança foi seladas nas nossas bocas. “Sim”, e germinou o primogénito amor do nosso amor. E depois o segundo sim e o terceiro sim. “Sim”, brilha-me na mente tal como um sorriso, sempre que o nevoeiro desce e nos percorre sem ver além do que me cega. E nunca, nunca, nunca, acreditei, no fundo, em qualquer não que derrube o “sim” que te sinto. E o primeiro sim na primeira luz do nosso olhar.  

Cátia Penalva, 33 anos, Viana do Castelo


Sem comentários:

Publicar um comentário