28/07/13

Palavras

Palavras queria escrever
Sábias belas que ensinassem
A quem as quisesse ler
E que delas precisasse
E que as minhas palavras
Ao escrevê-las, delas nascessem
Como quando a terras lavras
As sementes proliferassem
E que dessem tanto fruto
Com meu simples contributo
Ensinassem o analfabeto
Apenas em um minuto
E que na terra, todo o mal fosse dissoluto
Que as minhas palavras acordem
Todos os homens que dormem
E que, hoje e agora, ponham fim à desordem


Maria Silvéria dos Mártires, 67 anos, Lisboa

Sem comentários:

Publicar um comentário