10/11/13

Que golpe!

O golpe deixou-a sem ar, tonta. Depois massajou o polegar.
Era um daqueles momentos em que coas os pensamentos, procurando encontrar a saída do caos, mas as únicas ideias que tens são ocas de sentido.
Duas suaves batidas na porta apressaram-na. «Que saco!», pensou. Sentia asco até da velha soca que espreitava debaixo da cama.
Não falaram muito durante o trajecto para o hospital, onde o médico, desinteressado, empurrou o caso para o enfermeiro:
– Quero que cosa!

Quita Miguel, 53 anos, Cascais

Desafio Rádio Sim nº 7 – anagramas com S C O A

Sem comentários:

Publicar um comentário