20/08/14

Mas que trapalhada

Andava de um lado para o outro como animal enjaulado, o discurso não saía, fizera mil e um rascunho e nada. Tudo parecia fútil.
As palavras atrapalhavam-se dentro de si como se não soubessem que frase formar.
O tempo, esse, voava, começava a desesperar!
Bebeu um chá, tomou um banho quente, leu, tentando acalmar-se. As palavras, essas, se estavam atrapalhadas ficaram ainda mais. Fechava os olhos e via-as voando umas atrás das outras, rindo-se do seu bloqueio.

Carla Silva, 41 anos, Barbacena, Évora
Desafio RS nº 13 – … palavras atrapalharam-se dentro…