11/05/15

Through the time

Tantas vezes pensei em te procurar. Meus dedos, reticentes, ousaram te escrever uma carta ou e-mail. O coração quis dizer-te mais. Entretanto, quando te foste, fechaste todas as portas que pudessem me permitir te alcançar. Tua janela tão delicada qual porcelana, tentei bater, mas não quis persistir... Não resistiria a mais um estilhaçar, meu e teu. Confronto de janelas e coração. Em mim apenas a lembrança inteira do que fomos. Íntegra, pois que o amor a preservou...

Roseane Ferreira, Estado do Amapá, Macapá, Extremo Norte do Brasil
Publicado aqui: http://www.anezinha.recantodasletras.com.br/visualizar.php?idt=5238975   
Desafio RS nº 25 – dedos que batem no vidro (cena)

Sem comentários:

Publicar um comentário