21/06/15

A vingança

Havia dez anos que encontrara aquela carta caída no quarto. Como era possível? Com avidez, leu o texto. Era uma declaração de amor, terminando: amo-te muito, Inês.
O seu mundo desabou. Pensava que a vida já lhe havia cobrado tudo, mas, afinal, estava enganada. Nenhuma palavra narra a dor que sentiu naquele instante.
– Sim, continue! – pediu o narrador. Sobressaltou-se. A voz interrompeu as suas tristes memórias.
Vingou-se, publicaria um livro, delatando o indecoroso homem que ele era…

Amélia Meireles, 62 anos, Ponta Delgada

Desafio nº 85 – expressões homófonas