22/06/15

Amor com amor se paga

– Querida, tudo bem, onde estás?
– Estou no metro.
– No metro? Tudo bem, onde sais?
– Saio no Marquês.
– No Marquês, tudo bem, vou ter contigo.
– Não vale a pena, não posso.
– Gostava tanto de estar contigo, tudo bem, tenho saudades!
– Não posso, já te disse, tenho muito que fazer.
– Não tens tempo, tudo bem, fica para a próxima.
– Ai! Escorreguei agora na escada rolante. Acho que parti um braço! Socorro!
– Partiste, tudo bem, chama o 112, tudo bem.

Isabel Sousa, 63 anos, Lisboa 

Desafio nº 48 – diálogo em que uma personagem tem um tique de linguagem