20/06/15

Casa de Tormes

Ficou mudo de espanto e sentiu um arrepio. Não era de frio, que o dia amanhecera quente e a estas horas já nem os pássaros se ouviam, abrigados na sombra do jardim. Até o seu silêncio parecia premonitório.
A revolta era grande. Os populares não baixariam os braços e quando a notícia alastrasse pelas redes sociais e pelos jornais, seria a repetição da patuleia.
Agora em defesa da Casa de Tormes, onde o Jacinto banqueteava as favas.

Alda Gonçalves, 47 anos, Porto