23/06/15

O frio da ausência

Helena percorria todos os dias os mesmos lugares. Naquele dia, o espanto deixara-a completamente perplexa. Como era possível? Onde estava o seu menino? O frio da sua ausência percorria-lhe a alma. Quando a noite se avizinhava, a dor tornava-se mais insuportável. Numa repetição quase patológica revisitava cada lugar onde imaginava que pudesse estar. A revolta cavalgava-lhe no peito, perturbando-lhe a lucidez.
– Helena, vem para casa. Amanhã, vamos à campa do nosso menino. Comprei margaridas para ele. Gostas?

Amélia Meireles, 62 anos, Ponta Delgada
Desafio nº 92 – associar: frio, espanto, revolta e repetição