30 dezembro 2015

Na saudade

Logo de imediato, um fumo branco, foi sugado pela chaminé assim que a chama inundou a carqueja ainda húmida pelo tempo.
Reconfortante naquela noite fria, o calor, foi animando as conversas que davam lugar a risos, iluminando as almas em seu redor enquanto as mais pequenas pulsavam pela casa, numa alegria contagiante. Lá fora o fumo, juntava-se a outros na escuridão serena da noite. A outros de outras tantas almas de outros tantos tamanhos, lembrados na saudade.

Paulo Roma, 52 anos, Lisboa
Desafios nº 28 e 29 – Natal e Passagem de Ano


Sem comentários:

Enviar um comentário