11 fevereiro 2016

Fogo!

Não quero acordar. Não me lavo, nem como. Não preparo o lanche, o dia, a tarefa. Não ouço conversas absurdas. Não digo “Bom-dia!”. Nãonão não! Esta espera mata-me! Já não tenho unhas. Não me deixam acampar perto do pavilhão do concerto da Beyoncé. Admiro-lhe todos os talentos. Não me cansa o último álbum. Mas o tempo não passa… O dia teima em não chegar. Eles não param de me chatear. “Ok. Já me levanto, mãe! Fogo!”

Graça Pereira, Setúbal

Desafio nº 59 – 14 vezes a palavra não

Sem comentários:

Enviar um comentário