15 fevereiro 2016

Gotas

Era Agosto, estava calor, muito calor.
Os lábios secos pediam língua húmida. O sabor do salgado suor fazia engolir saliva. Gotas de suor escorriam pelas curvas do rosto e desciam até serem absorvidas pelo leve tecido que vestia. Já molhado.
E a seca que não acaba!
Dança da chuva, os deuses vão ajudar. Vão? Rodopiou levantando a saia.
De repente, o céu ficou escuro, o vento soprou forte. As nuvens rebentaram em milhões de gotas de água.

Marina Delgado, 51 anos, Pucariça, Abrantes

Desafio nº 91 – cena metafórica de gota de chuva que acaba numa poça

Sem comentários:

Enviar um comentário