13 abril 2016

Quero

Não quero perder este sentido de surpresa,
de rir.
De olhar como se fosse ainda menina,
de saber
De perceber que o dia é dádiva
e presente
que sentimos nas mãos e no olhar,
para sempre.
E quero mais, quero tentar e aprender,
quero descobrir,
onde voa o açor e a cotovia.
Noite. Dia.
E pressentir todos os cantos do amor,
da amizade,
mágicos lugares, fábulas lendas, talvez já esquecidas,
porém vivas,
na eternidade pura duma flor.

Paula Coelho Pais, Lisboa, 54 anos

Desafio nº 75 – frases de 7 e 2 palavras.

Sem comentários:

Enviar um comentário