24/01/18

Helena Rosinha – desafio 35

Como um iceberg devagar florindo
Como a nuvem que célere se incendeia
Revolve-se o tempo no seu labirinto
Insane, gritante o silêncio que rodeia.
Como ácido feroz adoçando a ferida
Como os insetos na lava dum vulcão
Finto errante os tormentos desta vida
Viajante preso em rede de alucinação.

Como num sonho, desato a consciência
Solto fantasmas em voltas de assombrar
Desnudo, retomo o meu caminho até ao mar
Vão-me doendo os olhos já de serem tristes.
Helena Rosinha, 65 anos, Vila Franca de Xira
Desafio nº 35 – partindo de dois versos de autor
António José Forte, Uma Faca nos Dentes (Antígona, 2017 ) - Como um iceberg devagar florindo
+
Carlos de Oliveira, Trabalho Poético I (Sá da Costa, s/d ) - Vão-me doendo os olhos já de serem tristes.


Sem comentários:

Publicar um comentário