25/02/18

Bernardo Salas ― desafio 35


Pelas mãos e pelos olhos seremos então capazes de jurar
em noites de chuva e ruas desconhecidas onde havia muitas
outras palavras entre nós, onde ninguém as conseguia pronunciar.
E então eu fechava os olhos e depois voltava a abri-los
e tudo o que eu tinha visto desaparecera. E mesmo assim
todos os dias, a um canto do quarto, foi com a força daqueles
Que acordaste todos os outonos, tarde, e eu tentando fazer valer a pena.
Alice Vieira, Poesia – Dois corpos tombando na água
Bernardo Salas, 11 anos, Olhão, Escola EB 2/3 Professor Paula Nogueira, Prof.ª Cândida Vieira
Desafio nº 35 – partindo de dois versos de autor