28/03/18

Colette Johnston ― desafio 15


São agora nove da manhã e Bernardino não vai trabalhar. Ainda não acredita que todos os dias vão ser assim. Pensa na festa de despedida que os seus colegas prepararam. Olha para a mesa de cabeceira e vê o relógio que lhe ofereceram.  Pega nele e sorri. É um bom relógio, aliás, é o melhor relógio que alguma vez teve. E pensa na ironia da situação; ter um relógio de ouro agora que já não precisa dele.
Colette Johnston, 57 anos, Valladolid, Espanha
Frase tirada de “Debaixo de Algum Céu” de Nuno Camarneiro  
Desafio nº 15 com frase retirada de um livro


Sem comentários:

Publicar um comentário