26/03/18

Íris Freitas ― desafio 15


Não consigo entender muita coisa. Não consigo entender como estás sempre a sorrir, não consigo entender como nunca te vi chorar, como nunca te vi triste. Nunca cheguei a entender, mas também não te vou perguntar. Estás estranha, estás diferente. Ando a reparar em ti, talvez já tenhas notado, mas não me importo. Só se estiveste a fingir este tempo todo, mas depois de tanta coisa, descobri que afinal, atrás daquele sorriso, tu não estavas a sorrir...
Obra: António Mota "Pedro Alecrim" 
Íris Freitas, 6º A, Escola Dr. Costa Matos, Gaia, prof Cristina Félix
Desafio nº 15 com frase retirada de um livro


Sem comentários:

Publicar um comentário