28/10/18

Francisca Reis ― desafio 152


A ferida era recente. Mal te via desatava a chorar. Quanto mais te ignorava mais aparecias e isso era bom porque te queria… quero…
Mas piorava… Cruzávamo-nos, eu ignorava-te. Ridícula.
Ridícula: eu por achar que seria diferente, tu por não perceberes a minha dor. Que parvoíce tentar gritar, não me ouvias… Talvez deva continuar a ignorar-te, talvez resulte se deixar as lágrimas correrem sem me conter, talvez resulte se o grito não morrer na minha boca. Talvez…
Francisca Reis, 17 anos, Cantanhede.
Desafio nº 152 – frase de Lídia Jorge

Sem comentários:

Publicar um comentário