28/10/18

Helena Rosinha – desafio 152


Há feridas que sempre recordaremos; da infância, as esfoladelas nos joelhos, cotovelos em chaga - como chorávamos! As lágrimas rolavam, rasgando sulcos na sujidade do rosto… Crescemos e aprendemos a engoli-las, de orgulho ferido; respondemos ao fracasso, às frustrações, refugiando-nos na nossa concha, indiferentes a tudo, alheados das questões ambientais que ferem o planeta. Pois as lágrimas também rolam na Natureza, sujeita, como está, ao egoísmo do tal homo sapiens, que explora recursos, provoca guerras, polui, extingue habitats…
Helena Rosinha, 66 anos, Vila Franca de Xira
Desafio nº 152 – frase de Lídia Jorge

Sem comentários:

Publicar um comentário