22/01/19

Emília Simões ― desafio 161

chão do velho sótão estava atulhado. Nas paredes com mofo, destacavam-se pendurados a fisga e o boné do pequeno Jorge, hoje um rapaz! Numa caixa cheia de teias de aranha encontrava-se o vício do avô, o seu querido fagote.  Revoltava-me a tripa só de ver a mosca que, de volta do pote do azeite, não mudava de rumo. Ao lado, o cereal deitava um odor tóxico
E eu que queria apenas praticar no fagote do avô...
Emília Simões, 67 anos, Mem-Martins
Desafio nº 161 – 14 palavras com fisga

Sem comentários:

Publicar um comentário