28/12/20

Ana Moreira – desafio 228

Sem nada dentro  

Oco, vazio, poeirento 

Sem memória  

Sem sentimento… 

Sem nada dentro 

Sem lágrima, sem dor 

Sem gargalhadas 

Sem sorrisos, sem amor… 

Sem nada dentro 

Sem passado, sem presente 

Sem querer saber do futuro 

Frio e ausente… 

Sem nada dentro 

No tempo, estagnado 

Sem ida, nem volta 

Em si fechado… 

Parece sem nada dentro 

Mas o nada tudo pode ser 

Alguém que estenda a mão 

E que não o deixe esquecer 

De como é bom viver!

Ana Moreira, 32 anos, Beja

Desafio nº 228 – «sem nada dentro»