30 março 2016

Dor de dentes

GRITAR, SUSTER a respiração, VERTER lágrimas,
IMOBILIZAR, nada aliviava a dor de dentes do JACARÉ.
CARAMELO, bolo de MÁRMORE, OVO, ao pensar
ficava a TREMER e a salivar.
A ABELHA pousou o LIVRO no NENÚFAR, 
sem PRONUNCIAR palavra, nem QUERER RUBORIZAR,
dirige-se ao amigo.
Não houve HIPÓTESE, este estava-se a BORRIFAR, queria
FUGIR, ENTERRAR a cabeça na areia, aos ZIGUEZAGUES
tropeça num XISTO, parte a UNHA, cai na FALÉSIA.
O DOUTOR é chamado, arranca-lhe o dente malvado.

Maria Madalena Moreira de Carvalho, 65 anos, Peniche

Desafio nº 58 – tabela de 2 palavras obrigatórias para o alfabeto, uma à escolha

Sem comentários:

Enviar um comentário